Aqui Alí e Acolá, tem arte em todo lugar

Com a desvalorização da arte e cultura brasileira, temos menos obras ou menos artistas sendo revelados em nossos estados brasileiros. Em meio a tudo isso, inúmeros artistas de rua estão sendo divulgados pelo o avanço da internet, desde malabares de sinais de trânsitos, cantores que entram nas suas viagens de ônibus à artistas que fabricam pinturas em telas, azulejos e outros arranjes.

No Brasil, temos grandes artistas que tiveram sucesso em suas carreiras, exemplo do  pernambucano Romero Britto, que começou no ramo de pinturas aos seus 18 anos, porém, se interessava desde os 8 anos de idade. Romero é um dos artistas mais prestigiado pelas celebridades Americanas, pintando para famosos como o astro do Pop Michael Jackson e o ex Presidente americano Bill Clinton.

Aqui no Complexo do Alemão temos grandes artistas Culturais dando show de talentos em diversas partes da comunidade. Uma delas é a artistas Mariluce Mariá de Souza, 33anos, que trabalha com obras de artes pintadas em telas e quadros. Mari, como é conhecida, teve um sonho onde através da pintura a favela estava recheada de cores. Mari acreditou e investiu no seu sonho, começou a fazer as pinturas e vende-las na estação do Teleférico da Palmeiras, local de maior concentração de turistas, ponto certo para fazer com que as obras de Mariluce fosse levadas como lembranças do Complexo do Alemão pelos Visitantes. Mariluce palestrou e teve suas obras expostas em diversas partes do mundo, uma delas em uma galeria na Suiça.

Também no Alemão, temos os irmãos violinistas, que fazem da musica uma história de vida. Os irmãos Natanael, Gabriel, e o caçula Gileard, são grandes amantes da musica erudita, onde sentados no alto do morro, no Teleférico das Palmeiras, os irmãos encantam aos moradores e visitantes que por ali passam, ao som de clássicos como Vivaldi, Beethoven e finalizam com o Hino Nacional.

 

 

Saindo do Rio e indo direto para Conselheiro Lafaiete centro de Minas Gerais, outro artista ganha a vida com obras de artes pintadas em Azulejos. Fabricio Mallat, 36 anos, trabalha a dez anos em praças, ruas, e já viajou pra diversas cidades do brasil com suas obras de artes para amostras. “O Quadro artístico brasileiro vem aumentado bastante, com o avanço tecnológico, as pessoas estao tendo mais informações sobre a arte feitas em azulejos..” Diz o artista, onde ressalta, que a falta de espaço para os artistas de rua dificulta bastante o crescimento da Cultura.

Comentários Facebook

comentários

*

* Please arrange the below number in decreasing order

Top