Nós do Morro estreia espetáculo amanhã (31), no Vidigal

Está procurando um programa para seu feriadão? Então fica ligado na dica que nós temos para você aqui

O Nós do Morro completa 32 anos de história, e para comemorar essa marca, estreia o espetáculo “Encontros, 32 anos depois”. O texto é uma releitura do Grupo Nós do Morro de sua primeira produção, que estreia no dia 31 de maio no Casarão do Nós do Morro, no Vidigal. A produção foi a primeira a ser apresentada pelo grupo, em 1987. Com argumentos preparados por Luís Paulo Corrêa e Castro, a história fala da vida dos adolescentes do Vidigal na década de 80, mostrando os principais pontos de encontro e reunião e os problemas enfrentados no cotidiano dos moradores de uma favela em plena “década perdida”.

Apesar da diferença de 31 anos entre a primeira montagem e essa, a importância ainda é bastante latente na história, não somente do Nós do Morro, mas de tantas outras comunidades espalhadas pelo Rio de Janeiro e pelos demais estados brasileiros.

A remontagem desse espetáculo é a prova de que a semente germinada com a criação do Nós do Morro frutificou, mostrando que a iniciativa idealizada por Guti Fraga, Fred Pinheiro, Luís Paulo Corrêa e Castro e Fernando Mello da Costa serviu de espelho para uma série de movimentos culturais criados em favelas e bairros da periferia, formando crianças, jovens e adultos, mostrando que a vida vivida na arte é muito mais bonita de ser vivida.

Hoje, após tantas décadas e mudanças no mundo, a peça volta à cena em uma releitura assinada por Fabrício Santiago, com colaboração de Álamo Facó. O argumento é o mesmo e os conflitos permanecem, mas as situações foram adaptadas para o contexto atual, com a dinâmica de uma sociedade cada vez mais impactada pela globalização. A remontagem desse espetáculo é a prova de que a semente germinada com a criação do Nós do Morro frutificou, mostrando que a iniciativa idealizada por Guti Fraga, Fred Pinheiro, Luís Paulo Corrêa e Castro e Fernando Mello da Costa serviu de espelho para uma série de movimentos culturais criados em favelas e bairros da periferia, formando crianças, jovens e adultos e mostrando que a vida vivida na arte é muito mais bonita de ser vivida.

– “Ainda criança, o maior sonho da minha vida era simplesmente conseguir viver da minha arte. E, ao ter a sorte de encontrar com a escola de teatro Nós do Morro, o meu sonho se tornou possível. Retornar ao grupo nesse momento como dramaturgo é um dos presentes mais especiais de toda minha trajetória” – diz Fabrício Santiago, dramaturgo de “Encontros 32 anos depois”.

– “O texto falava do cotidiano da favela, porque era importante que os moradores se reconhecessem e, através dessa experiência, vislumbrassem a vivência artística como algo próximo e tangível; atuando pela democratização do acesso à arte. Acreditávamos na possibilidade de aliar formação artística à responsabilidade social. Entendíamos o processo de criação artística como uma filosofia de vida, capaz de formar cidadãos atentos aos problemas do mundo e generosos com os outros. Então, remontar esse texto é uma forma de reafirmar que continuamos acreditando em tudo o que nos motivou desde o início. A nossa história nos mostra que o Grupo Nós do Morro é uma iniciativa que deu certo e, diante desses 32 anos, temos a certeza de que apenas começamos. Que venham os próximos 32” – salienta Guti Fraga.

O elenco tem ensaiado no espaço do Nós do Morro, no Vidigal, com aulas de voz, canto, improviso e uma extensa carga horária de preparação corporal que acontecem concomitantemente aos ensaios. Além da temporada no Vidigal, eles fazem apresentações durante o mês de junho em algumas arenas que incluem os bairros da Penha, Madureira e Pavuna. Lá, além da apresentação, eles fazem debate sobre arte e cultura encerrado com SLAN de poesia.

Encontros, 32 anos depois
Temporada de 31 de maio a 10 de junho
*Espetáculo no Vidigal no casarão do Nós do Morro
Endereço: Rua Doutor Olinto de Magalhães, 54, Vidigal
Dias: de quinta a domingo
Horário: às 20h.
Duração: 70 minutos
Classificação: 14 anos
Ingressos: Inteira R$10,00 e meia R$5,00
Telefone: 3874-9412

*Arena da Pavuna
14 de junho – Debate sobre arte e cultura encerrado com SLAN de poesia
Horário: 14h
Entrada franca
15 de junho – Apresentação do espetáculo
Horário: 19h30
Praça Ênio, S/N – Pavuna
Telefone: (21) 2886-3889
Valor do Ingresso: Inteira R$10,00 e meia R$5,00

*Arena da Dicró
22 de junho – Debate sobre arte e cultura encerrado com SLAN de poesia
Entrada franca
23 de junho –  Apresentação do espetáculo
Horário: 20h
R. Flora Lôbo, 184 – Penha Circular
Telefone: (21) 3486-7643
Valor do Ingresso: Inteira R$10,00 e meia R$5,00

*Arena Madureira
29 e 30 de junho – Apresentações do espetáculo
Horário: 20h
Telefone: (21) 3495-3078
Valor do Ingresso: Inteira R$10,00 e meia R$5,00
30 de junho – Debate sobre arte e cultura encerrado com SLAN de poesia
Entrada franca
Horário: 16h
R. Bernardino de Andrade, 200 – Madureira

 

Comentários Facebook

comentários

*

* Please arrange the below number in decreasing order

Top