Segundo o PAC, R$ 210.000.000,00 foram investidos para a construção do transporte

Inaugurado no dia 7 de Julho de 2011, o Teleférico do Alemão tinha como objetivo trazer mais mobilidade aos moradores, ou seja, maior facilidade de transitar por entre as comunidades que compõem o Complexo do Alemão e chegar ao asfalto mais rapidez e conforto. A obra é composta por uma linha de operação que possui um percurso total de 3,5 KM de extensão e conta com seis estações ao longo dela, são elas: Estação de Bonsucesso, Adeus, Baiana, Alemão, Itararé e Fazendinha. Com o auxílio de 152 gôndolas, o sistema conseguia transportar 10 passageiros cada (8 sentados e 2 em pé) e todo trajeto da primeira estação até a última levava em média 16 minutos de viagem.

A SuperVia, que se manteve como administradora do transporte durante cinco anos, teve seu contrato encerrado em 7 de Março de 2016, entregando a administração da empresa à Setrans (Secretaria de Estado de Transportes). No dia seguinte, o Consórcio Rio Teleféricos assumiu a operação, com contrato válido para os próximos 36 meses,que foi quebrado em menos de um ano.

Desativado desde setembro do mesmo ano, foi em outubro que a concessionária suspendeu o contrato alegando que a secretaria de transportes não fazia os repasses mensais no valor de 2,7 milhões desde o mês de abril. Na época, em nota publicada, a Setrans por sua vez disse que o serviço havia sido suspenso devido à demora para exportar um novo cabo de tração para o equipamento que estaria sofrendo desgaste.


Vida útil

De acordo com informações da Setrans, após solicitação através da Coordenadoria Geral de Transparência Passiva, a vida útil do Teleférico do Alemão não foi calculada por ser um transporte que pode durar muitos anos, desde que se faça a manutenção necessária. No momento, não é possível fazer uma previsão, já que encontra-se desativado.

Investimento

Segundo representantes do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), R$ 210.000.000,00 foram investidos para a construção do Teleférico do Alemão.

Números

Anualmente, mais de 1.860.116 passageiros utilizavam o serviço, mensalmente 206.600 passageiros e diariamente 8.100 passageiros, que faziam ainda integração com os trens da SuperVia na estação de Bonsucesso.

Antes, aqueles que possuíam cadastro nas estações pagavam apenas R$1,00 para se conectar entre as comunidades e hoje em dia a mobilidade dos moradores do Complexo segue prejudicada.

Comentários Facebook

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

* Please arrange the below number in decreasing order