Prefeitura adia entrega de obras na Vila Kennedy e moradores questionam custo para a realização

No início de março dezenas de quiosques foram derrubados sem nenhum aviso prévio a mando de Marcelo Crivella, na Vila Kennedy, Zona Oeste do Rio, deixando os comerciantes em estado de desespero. De acordo com moradores e comerciantes, a prefeitura surpreendeu a todos com uma ação de choque de ordem que colocou abaixo quiosques instalados no local, com a participação da Secretaria municipal de Ordem Pública (Seop), que contou com diversos agentes e até uma retroescavadeiras.

Após provocar revolta, o prefeito admitiu que houve acesso de força e afastou os funcionários envolvidos na ação iniciando um cadastramento, onde deu 49 licenças para comerciantes da Praça Miami, que dá acesso a Avenida Brasil. De acordo como descrito no projeto, os ambulantes que agora estão regularizados, trabalharão em quiosques de alvenaria, com geladeira e relógios de água e luz em locais de fácil acesso, impedindo assim a colocação de “gatos”.

Em vídeo publicado na página do prefeito, Crivella diz que a obra seria entregue na próxima sexta (20), prometendo uma academia da 3º idade, banheiros e canteiros na região, mas durante visita ao local na tarde de ontem, voltou atrás e transferiu para a próxima quarta (25). Até o momento, os relógios de marcação ainda não foram colocados pela Ligth e a CEDAE não instalou os hidrômetros.


OBRAS SEM VALOR ESTIPULADO 

Enquanto isso, a comunidade questiona sobre o custo para a realização da obra, pois não consta a informação na placa da prefeitura instalada no local, deixando a população da região intrigada.  Outro ponto citado por moradores da Vila Kennedy é sobre a existência de novos projetos. Muitos querem saber se existe um planejamento também para a parte interna da comunidade ou se manterá apenas na área externa, assim como aconteceu na Rocinha.


Informações: Voz da Vila Kennedy

Comentários Facebook

comentários

Related posts

*

* Please arrange the below number in decreasing order

Top