CINEMÃO apresentará sessão especial na Arena Carioca Dicró, na Penha.

Imagine um carro aparelhado para exibição de filmes nacionais, equipado com super projetor de imagem, telão, sistema de som, mega-fone, cadeiras e pipoqueira! Junte tudo isso a muita vontade de promover, difundir e estimular a cultura e o encontro social através do Cinema Brasileiro de uma forma prática, gratuita e eficiente. O resultado é o projeto CINEMÃO – Veículo de Ocupação Tática da Cultura, que ocupa espaços públicos com o Cinema Nacional.

A próxima sessão será no dia 21 de abril, domingo, às 19h, na Arena Carioca Dicró. O projeto, que é apoiado pela ONU no Brasil, exibirá às 19h o longa-metragem “Onde a coruja dorme”, direção Marcia Derraik e Simplício Neto. Dos morros cariocas e da Baixada Fluminense surge uma das produções musicais mais interessantes do Brasil: sambas feitos por trabalhadores, crônicas cáusticas, mas bem-humoradas de compositores anônimos garimpados por Bezerra da Silva. O documentário revela a relação do polêmico Bezerra com seus compositores, egressos dos morros cariocas e da Baixada Fluminense, e muitos deles, profissionais de segmentos populares do mercado de trabalho, como carteiros, trocadores de ônibus, pedreiros e biscateiros de um modo geral. Segundo o sambista conhecido por sua malandragem, essas pessoas eram sambistas genuínos.

Na sequência, o projeto mediará um debate com a participação da equipe dos filmes e membros do Observatório de Favelas. Antes da sessão principal serão exibidos os premiados curtas documentais – “angeli 24h”( dir. Elizabeth Formagini ) / “silêncio” ( dir. alberto bellezia / cid césar augusto ) \ “mãos de outubro”( vitor souza lima ).

Para Cid César Augusto, idealizador do projeto, O Cinemão está ocupando espaços populares da cidade com o Cinema Brasileiro:
“Este projeto é uma importante e considerável janela para democratizar esta vibrante produção de filmes no Brasil. E a Arena Carioca Dicró é um excelente lugar para exibir “Onde a Coruja Dorme”. Dicró e Bezerra foram parceiros e bons malandros. ”
Giancarlo Summa, diretor do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil, garante total apoio Institucional ao Cinemão:
– Acreditamos que esse projeto represente um elemento importante na construção da cidadania, em prol da consolidação da democracia, da formação e conscientização da sociedade civil. Esperamos poder colaborar para tornar a iniciativa um sucesso.
A sessão do Cinemão na Arena Carioca Dicró é feita em parceria com Observatório de Favelas, a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura.

Cinemão X Caveirão – Relação não é mera coincidência
Este projeto nasce em função da existência do Caveirão. O Cinemão é a “antítese” da máquina de guerra do Estado. Toda semelhança física entre os carros é simbólica. O que difere são os meios e fins. O projeto usa o cinema como ferramenta de inclusão,visibilidade e protagonismo social de grupos marginalizados.
Cid César Augusto, diretor e idealizador do projeto, destaca a importância do Veículo de Ocupação Tática da Cultura enquanto política pública:

– Pergunte ao morador da comunidade que tipo de carro preto ele quer na sua rua. Acreditamos que nossas armas são infinitamente mais poderosas. Nós apontamos para a sociedade outro modelo de ocupação territorial de espaços estigmatizados pela violência. É preciso mudar os paradigmas. Essa é nossa função nas comunidades. O Cinemão é uma política pública necessária no processo de pacificação – disse Cid.

O CINEMÃO pretende promover ao longo do ano 288 sessões gratuitas de cinema, seguidas de debate com os realizadores e a comunidade local. O projeto deverá atingir mais de 150.000 pessoas, entre crianças, jovens, adultos e idosos.
A partir de acordos com a Programadora Brasil e outros distribuidores nacionais, o CINEMÃO funciona como uma ação divulgadora e democratizadora da produção nacional. Isso fará com que o cinema brasileiro chegue a uma parcela da população com dificuldade de acesso à cultura, seja por razão financeira, locomoção ou barreira cultural.

O projeto possui uma extensa lista de simpatizantes, como o cineasta Walter Salles, o apresentador Danilo Gentili /ex-CQC, os atores Bruno Gagliasso e Matheus Nachtergaele, entre outros.
O link dos vídeos com o testemunho de diversas personalidades declarando apoio ao projeto em: http://www.youtube.com/watch?v=o7RJoKCNaMI
O CINEMÃO tem patrocínio do Ministério da Cultura, Banco Itaú eCirúrgica Fernandes e apoio da Epson, UNIC (Centro de Informação das NaçõesUnidas — ONU), UPP Social / Instituto Pereira Passos -IPP.
O projeto está ainda em busca de patrocinadores, já que apenas 25% foi captado, aprovado pela Lei Rouanet.
Carioca Filmes e Maranduva Filmes são as produtoras responsáveis.
Todos os vídeos sobre o CINEMÃO no link: http://www.youtube.com/user/cinemao1?feature=watch

Serviço: CINEMÃO

Imagine um carro aparelhado para exibição de filmes nacionais, equipado com super projetor de imagem, telão, sistema de som, mega-fone, cadeiras e pipoqueira! Junte tudo isso a muita vontade de promover, difundir e estimular a cultura e o encontro social através do Cinema Brasileiro de uma forma prática, gratuita e eficiente. O resultado é o projeto CINEMÃO – Veículo de Ocupação Tática da Cultura, que ocupa espaços públicos com o Cinema Nacional.

A próxima sessão será no dia 21 de abril, domingo, às 19h, na Arena Carioca Dicró. O projeto, que é apoiado pela ONU no Brasil, exibirá às 19h o longa-metragem “Onde a coruja dorme”, direção Marcia Derraik e Simplício Neto. Dos morros cariocas e da Baixada Fluminense surge uma das produções musicais mais interessantes do Brasil: sambas feitos por trabalhadores, crônicas cáusticas, mas bem-humoradas de compositores anônimos garimpados por Bezerra da Silva.

O documentário revela a relação do polêmico Bezerra com seus compositores, egressos dos morros cariocas e da Baixada Fluminense, e muitos deles, profissionais de segmentos populares do mercado de trabalho, como carteiros, trocadores de ônibus, pedreiros e biscateiros de um modo geral. Segundo o sambista conhecido por sua malandragem, essas pessoas eram sambistas genuínos.
Na sequência, o projeto mediará um debate com a participação da equipe dos filmes e membros do Observatório de Favelas. Antes da sessão principal serão exibidos os premiados curtas documentais – “angeli 24h”( dir. Elizabeth Formagini ) / “silêncio” ( dir. alberto bellezia / cid césar augusto ) \ “mãos de outubro”( vitor souza lima ).

Para Cid César Augusto, idealizador do projeto, O Cinemão está ocupando espaços populares da cidade com o Cinema Brasileiro:
“Este projeto é uma importante e considerável janela para democratizar esta vibrante produção de filmes no Brasil. E a Arena Carioca Dicró é um excelente lugar para exibir “Onde a Coruja Dorme”.Dicró e Bezerra foram parceiros e bons malandros. ”

Giancarlo Summa, diretor do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil, garante total apoio Institucional ao Cinemão:
– Acreditamos que esse projeto represente um elemento importante na construção da cidadania, em prol da consolidação da democracia, da formação e conscientização da sociedade civil. Esperamos poder colaborar para tornar a iniciativa um sucesso.
A sessão do Cinemão na Arena Carioca Dicró é feita em parceria com Observatório de Favelas, a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura.

Cinemão X Caveirão – Relação não é mera coincidência

Este projeto nasce em função da existência do Caveirão. O Cinemão é a “antítese” da máquina de guerra do Estado. Toda semelhança física entre os carros é simbólica. O que difere são os meios e fins. O projeto usa o cinema como ferramenta de inclusão,visibilidade e protagonismo social de grupos marginalizados.

Cid César Augusto, diretor e idealizador do projeto, destaca a importância do Veículo de Ocupação Tática da Cultura enquanto política pública:
– Pergunte ao morador da comunidade que tipo de carro preto ele quer na sua rua. Acreditamos que nossas armas são infinitamente mais poderosas. Nós apontamos para a sociedade outro modelo de ocupação territorial de espaços estigmatizados pela violência. É preciso mudar os paradigmas. Essa é nossa função nas comunidades. O Cinemão é uma política pública necessária no processo de pacificação – disse Cid.

O CINEMÃO pretende promover ao longo do ano 288 sessões gratuitas de cinema, seguidas de debate com os realizadores e a comunidade local. O projeto deverá atingir mais de 150.000 pessoas, entre crianças, jovens, adultos e idosos.
A partir de acordos com a Programadora Brasil e outros distribuidores nacionais, o CINEMÃO funciona como uma ação divulgadora e democratizadora da produção nacional. Isso fará com que o cinema brasileiro chegue a uma parcela da população com dificuldade de acesso à cultura, seja por razão financeira, locomoção ou barreira cultural.

O projeto possui uma extensa lista de simpatizantes, como o cineasta Walter Salles, o apresentador Danilo Gentili /ex-CQC, os atores Bruno Gagliasso e Matheus Nachtergaele, entre outros.
O link dos vídeos com o testemunho de diversas personalidades declarando apoio ao projeto em:

O CINEMÃO tem patrocínio do Ministério da Cultura, Banco Itaú eCirúrgica Fernandes e apoio da Epson, UNIC (Centro de Informação das NaçõesUnidas — ONU), UPP Social / Instituto Pereira Passos -IPP.

O projeto está ainda em busca de patrocinadores, já que apenas 25% foi captado, aprovado pela Lei Rouanet.
Carioca Filmes e Maranduva Filmes são as produtoras responsáveis.
Todos os vídeos sobre o CINEMÃO no link: http://www.youtube.com/user/cinemao1?feature=watch

Serviço: CINEMÃO
Local: Arena Carioca Carlos Roberto Oliveira – Dicró.
Rua: Parque Ari Barroso s/nº. Penha.
Data: 21 de abril, domingo
Horário: 19h
Classificação: livre
Entrada Gratuita.

Comentários Facebook

comentários

*

* Please arrange the below number in decreasing order

Top