Paz é o que queremos

Paz uma construção diária, que depende deles, dos outros, de nós! Sim, precisamos de políticas públicas de segurança mais eficazes, de policiais mais capacitados, reforço nas fronteiras brasileiras, debater sobre a questão das drogas, traficantes e usuários, legalizações e afins… Mas o que precisamos mesmo é que todos entendem que nós não somos o alvo.

Nós moradores de favela, nós moradores de periferia, nós que vivemos nos chamados espaços populares não somos o alvo do seu fuzil. Não somos o alvo dessa guerra. Dessa guerra em nome da paz? De uma falsa paz? Paz para quem? Paz sem voz?

Nesse último final de semana (28 e 29/07), os moradores do Complexo do Alemão receberam a 2° Edição do Arraia da Paz. Foram dois dias de muita festa, com mais de 10 mil pessoas, no Largo do Itararé – Ramos,   com barraquinhas de comidas típicas, moradores á caráter  e muito show com a banda Forfun, Preta Gil, banda D’Trix, FunK Club e artistas locais.

O evento realizado pelo jornal local Voz das Comunidades com o grupo Decolando Ideias foi uma celebração da paz. Não só uma celebração da paz como um pedido de paz. Um pedido para que a comunidade seja reconhecida não mais como o outro lado da cidade, mas como parte da cidade real, que merece respeito e principalmente merece VOZ.

Comentários Facebook

comentários

*

* Please arrange the below number in decreasing order

Top