Funcionária do AfroReggae sequestrada em Vigário Geral é morta

O corpo da funcionária do AfroReggae, Tânia Cristina Moreira, de 44 anos, foi reconhecido na tarde desta sexta-feira pelo coordenador do grupo José Júnior, no Instituto Médico Legal (IML) de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A cordenadora de projetos e mediadora de conflitos do AfroReggae foi morta com um tiro na cabeça.

Tânia Cristina Moreira, mediadora de conflitos do AfroReggae, foi sequestrada nesta quinta-feira | Foto: Divulgação

Tânia foi sequestrada na última quinta-feira dentro de casa, na Rua São Bartolomeu, em Vigário Geral, na Zona Norte do Rio, a poucos metros da sede do AfroReggae. Ela estava dentro de casa com a mãe e uma amiga, quando dois ou três homens, que chegaram a bordo de um Gol branco, invadiram a residência. Nenhum pertence de Tânia foi levado, por isso, a polícia suspeita de uma morte encomendada.

A funcionária integra um grupo de aproximadamente 20 pessoas especializadas em conversar com criminosos para diminuir a violência, conflitos entre facções e trabalhar na rendição dos mesmos.

Policiais da Divisão Anti-Sequestro e da 38ª DP (Brás de Pina) investigam o caso.

Nas redes sociais: Vários coordenadores de nucleos do AfroReggae lamentem e e estão muito triste com o acontecimento. O coordenador do AfroReggae José Júnior postou: “Acabei de ver o corpo ! Tania foi assassinada. O corpo ta no IML de caxias”.

Comentários Facebook

comentários

Autor

*

* Please arrange the below number in decreasing order

Top