Morador do Vidigal fala sobre desespero durante desmoronamento: “Eu só pensava: vou morrer, vou morrer!”

‘Foi terrível! Imagina você estar na cozinha e ser arremessado para o quarto?!”

Os danos causados pelas chuvas da última quarta-feira (06) ainda assolam quem vive no Vidigal. Mesmo dias após as chuvas, os moradores ainda relatam toda a dificuldade causada pelo temporal que deixou a cidade em estado de alerta. A equipe de jornalismo do Voz das Comunidades esteve no Vidigal e encontrou os moradores Felipe e Wellington que tiveram suas vidas interligadas pela chuva.

‘Foi terrível! Imagina você estar na cozinha e ser arremessado para o quarto. Eu só pensava: vou morrer, vou morrer! Algo como uma telha caiu e eu não conseguia sair, comecei a gritar e um vizinho me ajudou’, contou Felipe, que não sabia que após isso ainda salvaria a vida de um bebê de apenas três meses.

Mesmo após todo sufoco, Felipe ainda encontrou forças para ajudar os vizinhos e dessa forma conseguiu ajudar e prestar socorro ao filho de Wellington, o pequeno Bernardinho. ‘Quando eu cheguei aqui e recebi a notícia que meu filho estava no morro, eu desabei. As pessoas falavam que ele estava bem, mas quando vi a casa destruída, não teve como segurar’, relatou Wellington que agradeceu ao Felipe pela ajuda com seu filho.

Em meio aos escombros, a chuva e toda lama, os moradores do Vidigal encontraram na união toda força para recomeçar. ‘Tem essa parte do cenário de filme, essa calamidade, mas ao mesmo tempo se a gente andar pelo morro, todos estão se mobilizando, se ajudando’ lembrou Felipe.

Como doar
Doações estão sendo recebidas na Associação de Moradores, que fica localizada na Av. Pres. João Goulart / Vidigal.
Água, Roupa de cama, produtos de higiene pessoal e limpeza são itens de prioridade.

 

Comentários Facebook

comentários

Related posts

*

* Please arrange the below number in decreasing order

Top