BrasilFoundation divulga a lista dos vencedores do III Prêmio de Inovação Comunitária

Este ano 54 instituições de 16 estados vão receber recursos para que possam impulsionar suas iniciativas

A BrasilFoundation divulgou as iniciativas ganhadoras do prêmio de Inovação Comunitária, que tem por objetivo incentivar as diversas iniciativas presentes em Projetos espalhados pelo Brasil. O Prêmio foi lançado em 2015 para apoiar iniciativas informais que estão atuando para desenvolver suas comunidades, e ficam fora do radar de investidores por não serem formalizadas.

Este ano, o prêmio contou com iniciativas variadas, que vão desde o empoderamento LGBT no Distrito Federal, que tem registrado números crescentes de casos de LGBTfobia, até a primeira creche que atende uma comunidade indígena, na Bahia.

No Rio de Janeiro, seis iniciativas saíram com o prêmio:

A ONG EDUCAP, do Complexo de Favelas do Alemão, teve duas iniciativas vencedoras: Futuro em Movimento, de Lucia Maria Oliveira Leite, que oferece oficinas de dança, artesanato e reciclagem para adolescentes do Complexo do Alemão, que tem como objetivo gerar renda imediata. A outra, foi o Cine Favela, de Luciano Daniel dos Santos, que oferecem projeto com sessões de cinema para crianças e moradores que vivem em extrema vulnerabilidade e moram em locais de difícil acesso.

Em seguida, A ONG Redes da Maré, aparece com três iniciativas ganhadoras: Mulheres Ao Vento, de Simonne Silva Alves, que disponibiliza oficinas de danças populares que relacionam dança, corpo e trajetórias de vida, e construção de uma montagem cênica com mulheres da comunidade. Yoga e Meditação no Complexo da Maré, de Ana Olívia Figueiredo Mesquita, que sugere a promoção de uma cultura de paz e a melhoria do estado de saúde dos moradores do Complexo da Maré, através da prática de yoga e meditação. E Além dos Muros, de João Paulo Rodrigues. A iniciativa tem o teatro como linguagem multidisciplinar para o enfrentamento de questões presentes na comunidade escolar da Maré, fomentando uma rede de multiplicadores dos fazeres artísticos.

Por último, o Marginal Coletivo, do Instituto Cultural Pólen, de Santa Tereza. A iniciativa propõe ocupação coletiva da juventude favelada em espaços públicos no Rio de Janeiro para pensar direitos, identidade, cultura e política.

O investimento em cada uma das iniciativas, é de até R$5 mil e a seleção é feita por organizações madrinhas, que já foram apoiadas anteriormente pela Fundação. Essas organizações ficam responsáveis por todo o processo: identificar propostas em seus territórios, selecionar as mais interessantes, repassar os recursos, oferecer mentoria e avaliar os impactos dessas iniciativas.

Segundo a organização, a BrazilFoundation, em 18 anos de atuação, já arrecadou cerca US$ 40 milhões,  que foram investidos em iniciativas sociais nas áreas de Educação, Saúde, Cultura, Desenvolvimento Socioeconômico e Direitos Humanos. Os recursos levantados permitiram que a Fundação pudesse identificar, financiar e monitorar mais de 500 projetos sociais beneficiando diretamente milhares de pessoas.

A presidente, Patrícia Lobaccaro, conta a importância que a Fundação tem: “A BrazilFoundation é uma das poucas fundações que investe em iniciativas em estágios iniciais, as quais não possuem resultados comprovados ainda. No entanto, essas iniciativas pequenas e enxutas apresentam enorme potencial de criação e implementação de novas tecnologias sociais.” – conta.

A lista com as 54 instituições vencedoras do prêmio está disponível no site www.brazilfoundation.org

Comentários Facebook

comentários

*

* Please arrange the below number in decreasing order

Top