Crônicas

Um tempo… – Crônicas de Sérgio – 04

Um tempo… – Crônicas de Sérgio – 04

Sou de um tempo… De um tempo… De um tempo onde bala perdida era aquela bala que encontrávamos no bolso da calça, da blusa ou do short, não na cabeça, na perna ou no ventre de uma mãe; De um tempo onde tínhamos medo que os bandidos subissem o morro, e não os policias; De

Uma bala que não era perdida – Crônicas de Sérgio – 02

Uma jovem na escola, fazendo aquilo que todos esperamos de nossos filhos: que estudem. Uma jovem que ao invés de estar na rua se prostituindo, sendo aviãozinho do tráfico, escolheu estudar. Uma jovem estudante e apaixonada por esporte. Amante do basquete. Esse esporte mágico onde não tem bola perdida. Uma jovem craque no esporte. Uma

Crônicas de Sérgio – 01

Era por volta das 8 e pouco quando cheguei no bar do Zé Pindura. Na realidade não importa a hora que cheguei. O que importa mesmo é a hora que saí de lá… Pois pra dona da pensão lá em casa é assim: saiu do bar as dez; então tem 20 minutos pra subir o

Top