Campanha arrecada doações para moradores de favelas do Rio

Campanha arrecada doações para moradores de favelas do Rio

A pandemia do novo Coronavírus preocupa moradores das favelas de todos o Brasil, principalmente por serem territórios de grandes aglomerações, facilitando contágio e transmissão da doença (Covid-19). Pensando nisso, a ONG Voz das Comunidades criou a campanha PANDEMIA COM EMPATIA, que pretende arrecadar materiais para que famílias mais vulneráveis tenham condições de mantes os cuidados orientados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O pedido é que as doações sejam feitas através de transferências, priorizando depósito bancário e pic pay, para evitar que mais pessoas se ponham em risco nas ruas. Todo o valor arrecadado será destinado para a compra de água, álcool em gel e sabonete. A necessidade é urgente, pois em algumas favelas o abastecimento de água não é feito com frequência, fazendo com que algumas casas fiquem até 15 dias de torneiras secas.

A equipe está se organizando para realizar a ação. A ideia é que a compra e a distribuição sejam feitas no mesmo dia para evitar o trânsito de pessoas na Casa Voz, sede do Voz das Comunidades.

Outras organizações e líderes comunitários também estão empenhados e trabalham ativamente, na linha de frente, contra a #COVID19NasFavelas. É o caso do Coletivo Papo Reto, que junto com o Voz, está alertando a comunidade sobre a doença, que pode ser fatal, com faixas e panfletos. Avisos também estão sendo feitos através de sirenes da Defesa Civil, já espalhadas pela comunidade.

Faixas são colocadas em locais estratégicos do Alemão. Foto: Coletivo Papo Reto

“Nossa equipe estava com todo o planejamento para iniciar a tradicional ação de Páscoa, que ano passado alegrou mais de 10 mil crianças das favelas, mas, infelizmente, será impossível realizar em 2020. Nesse período estamos focados na pandemia e a meta é ajudar o máximo de famílias do Complexo do Alemão. Estamos evitando o contato com as pessoas, então é importante que as doações sejam feitas em dinheiro.” Rene Silva, presidente da ONG Voz das Comunidades.

Deixe comentário