A Comunidade na Passarela: agência de modelos abre inscrições no Complexo da Penha

As inscrições serão realizadas na cede do Atitude Social, hoje (30) às 13h para crianças e adolescentes de 4 a 17 anos de idade

A Comunidade na Passarela: agência de modelos abre inscrições no Complexo da Penha

A Agência de Modelos Iris Albuquerque, chega ao Complexo da Penha, na Zona Norte do Rio, com o projeto “A Comunidade na Passarela“. Em parceria com Centro de Desenvolvimento Humano Atitude Social, hoje (30) às 13h abrem as inscrições de modelos para crianças e adolescentes de 4 a 17 anos de idade.

As inscrições serão realizadas na cede do Atitude Social, localizada na Estrada José Rucas, 1266 – Vila Cruzeiro, ao lado do campo. Basta comparecer ao local com os seguintes documentos: foto do participante no tamanho 10×15, comprovante de residência, RG e CPF cópia e original da criança e do responsável. A organização do projeto também está em busca de parcerias com novas empresas para colaborar com a realização das atividades.

Após a seleção os participantes terão duas horas de aula por semana para ensaiar uma apresentação de fim de ano. As aulas englobam teatro e moda e começam na próxima semana. Essa apresentação também é a abertura para o curso de moda que será realizado em 2021, com durabilidade de um ano para os jovens inscritos.

A Comunidade na Passarela

O projeto “A Comunidade na Passarela” nasceu nas favelas da Baixada Fluminense e chega na Vila Cruzeiro, Complexo da Penha, com a 5ª edição. A iniciativa tem como objetivo integrar a arte no dia a dia dos jovens periféricos, estimular o estudo e gerar novas oportunidades de emprego.

Idealizadora do projeto e dona da agência, Iris Albuquerque é cria do Complexo da Penha e conta sobre a expectativa para a nova edição: “Estou muito ansiosa! É um sonho que eu tinha desde quando montei o projeto, de levar para a minha raiz, onde eu nasci. Poder levar o projeto para novas crianças e adolescentes, e ver que assim elas mudam a visão sobre a comunidade. Eu vivi isso na pele e vi que eu tinha que correr atrás dos meus sonhos, não podia ficar esperando alguém me encontrar e me levar pra ser alguma coisa. Tanto que eu fiz jazz na comunidade, depois me formei como atriz e sou modelo. Então assim, eu estou muito ansiosa para levar essa mesma perspectiva que eu tive a outras crianças”.

Iris Albuquerque e modelos do projeto. Foto: acervo pessoal