Calçadas na localidade da Alvorada cedem e casas correm o risco de desabar

Moradores do Alemão improvisaram tabuas para transitar e estão com medo de que algo pior aconteça

Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Quem mora na Travessa Beco do Cruzeiro, na localidade Alvorada, Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio, está lidando com um problema antigo e que parece não ter solução. Com as fortes chuvas, falta de manutenção e planejamento, parte da calçada cedeu junto com uma encosta, causando um grande perigo para os moradores.

José Augusto, que reside na localidade, não tem como sair de casa. A entrada é um imenso buraco e a única forma que ele encontrou para passar foi improvisando madeiras para conseguir ir trabalhar. “Isso já está assim há muitos anos. Já tiveram técnicos da defesa civil, associação de moradores da Nova Brasília e até agora nada foi feito”. José Augusto teme esperar por mais alguns meses e algo de ruim acontecer.

A defesa civil esteve no dia 18 de Fevereiro para fazer a interdição total do local. Mas, sem a proposta de uma outra moradia e um aluguel social, as família não tem para onde ir. Assim, dormem e acordam com a incerteza do que pode estar por vir.

“Esta casa debaixo já está vazia. Aqui o chão é tudo oco. Apenas uma coluna que sustenta. A gente teme que, em dia de chuva mais forte, caia tudo. A gente precisa de uma solução emergencial. Não podemos ser tratados desse jeito. Aqui moram famílias, gente trabalhadora. Parece que ninguém se importa”, desabafou o trabalhador.

Os moradores também relataram que não faz muito tempo que uma pessoa escorregou e caiu. Chegaram até pensar que a senhora tinha morrido com a queda, mas foram apenas alguns arranhões e ela passa bem.

Enquanto todos vivem com a incerteza de uma solução, foi improvisado madeiras para que, tanto o José Augusto quanto aos vizinhos, possam transitar. Porém, como não tem uma estrutura, e a noite não tem iluminação adequada, andar por ali pode ser muito perigoso. Pois, as madeiras que não estão fixas podem ceder.

Foi feito contato com o Vereador Luciano Medeiros que, segundo moradores, esteve no local e informou que está ciente da situação. Está, portanto, cobrando a prefeitura para que o problema seja resolvido o mais breve possível.

Não se teve retorno da Associação de Moradores da Nova Brasília, que é responsável por essa localidade da Alvorada.

Enquanto o problema segue sem solução, moradores improvisara uma ponte com vários pedaços de madeiras que não está fixa.
Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades