Campanha “De Olho no Coronavírus” recebe doações de resíduos na Rocinha

Na Rocinha, Zona Sul do Rio de Janeiro, projeto De Olho no Lixo lança campanha “De Olho no Coronavírus” e busca doações de resíduos, óleos de cozinha e tecidos para

Na Rocinha, Zona Sul do Rio de Janeiro, projeto De Olho no Lixo lança campanha “De Olho no Coronavírus” e busca doações de resíduos, óleos de cozinha e tecidos para reaproveitá-los em forma de cloro e máscaras, auxiliando moradores na prevenção na luta contra o coronavírus.

O projeto consiste na retirada de resíduo de lixo que fica dentro das favelas, onde a Comlurb não realiza coleta, e reverte este lixo na geração de trabalho e renda para os moradores da comunidade. A  iniciativa “De Olho no coronavírus”, surgiu devido à pandemia, que coleta óleo a partir de doações e transforma em cloro e sabão. Todo o material é produzido dentro da Rocinha por uma equipe de 30 pessoas”, disse a coordenadora geral do projeto Márcia Rolemberg , de 53 anos.

A produção de máscaras é derivada também de outro projeto, o “Ecomoda”, que consiste em reaproveitamento de roupas e tecidos na confecção de novas peças.

Além da Rocinha, o projeto atende o Vidigal e a comunidade Roquete Pinto, no Complexo da Maré, em Ramos e há 4 anos vem fazendo esse tipo de trabalho de reaproveitamento e reciclagem, incentivando moradores com hábitos de higiene e preservação do meio ambiente. O projeto foi elaborado pelo Viva Rio Socioambiental, com orientação técnica do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e a Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade (Seas) com apoio da Associação dos Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj).