Voz 15 anos: de eventos no Alemão ao Rock In Rio

Equipe do Voz produziu eventos marcantes como Arraiá do Alemão e Por um Natal melhor

Voz 15 anos: de eventos no Alemão ao Rock In Rio

Como citou a repórter Amanda Botelho: o Voz das Comunidades existe, resiste e vem crescendo há quase duas décadas em prol dos moradores de favela. E, na série de reportagens Voz 15 anos, falaremos sobre os eventos no Alemão que o Voz das Comunidades ajudou a produzir durante anos.

Tudo começou em 2011, quando o fundador, Rene Silva, produziu o Por um Natal melhor e o Arraiá da Paz que, posteriormente, virou o Arraiá do Alemão, evento que teve a última edição em 2015. Já no primeiro Por um Natal melhor foi um grande marco para a equipe: o evento beneficente, feito para arrecadar alimentos para os moradores do Alemão, foi embargado pela Polícia Militar e precisou ser remontado em menos de 6h em um novo local.

Para Betinha Meireles, integrante do Voz desde 2011, a equipe aprendeu muito com os contratempos. Ela ressalta que ninguém tinha experiência com produção e todo mundo aprendeu na vivência.

Fazer evento em comunidade tem várias questões. Tem a questão de você convencer o artista a vir se apresentar, porque, às vezes, nem pagando o artista vem, imagina de graça. É dar oportunidade para as pessoas das favelas verem grandes shows. Porque a gente sabe que um show é caro. Afinal, tem o transporte, a alimentação, a bebida, a roupa. E muita gente na favela não tem dinheiro. O meu papel como produtora era mostrar o trabalho do Voz e mostrar a importância da presença dele na comunidade, o quanto isso ia agregar“, ressalta a produtora, que acrescenta que os eventos chegavam a ter 7 mil pessoas e já receberam artistas como Lexa, Arlindo Cruz, Clareou, Mumuzinho e Valeska.

De eventos no Alemão para o Rock in Rio

Estúdio Voz das Comunidades no Rock In Rio. Foto: reprodução
Estúdio Voz das Comunidades no Rock In Rio. Foto: reprodução

A trajetória de produção de eventos no Alemão foi interrompida em 2015. E, a partir de então, passou a dar passos fora do território de favela. Em 2019 chegou a ser o único veículo de comunicação comunitária a ter um estúdio no Rock in Rio para receber a equipe de 16 colaboradores por dia. O fundador do Voz, Rene Silva, descreve a oportunidade como uma experiência única.

O convite chegou de uma maneira bem interessante. Já tínhamos uma parceria com o Rock in Rio e fizemos ações em outras oportunidades. Conseguimos ingressos e credenciamento para as edições de 2011, 2013 e 2015. Em 2019, com o Espaço Favela, a equipe do Voz trabalhou em tudo. Afinal, eram 16 pessoas credenciadas por dia para cobrir e acompanhar o evento. Tínhamos estúdio e repórteres. Foi incrível!”, finaliza Rene.