Do afrofuturismo ao amor preto, três jovens da Vila Kennedy lançam trabalho musical nas plataformas digitais

A banda Soul de Brasileiro disponibiliza o EP Ciclo 4 com faixas que conversam com a cultura negra

Do afrofuturismo ao amor preto, três jovens da Vila Kennedy lançam trabalho musical nas plataformas digitais

Foto: Soul de Brasileiro/Divulgação

Utilizando a ancestralidade e os valores da cultura negra como base centrais no momento de exploração dos limites da criatividade musical, a banda Soul de Brasileiro, formada por três jovens da Vila Kennedy, Zona Oeste do Rio de Janeiro, investem na diversidade afrodescendente no seu novo trabalho. Intitulado como Ciclo 4, o Extended Play disponibiliza quatro faixas com temáticas de afrofuturismo, relacionamentos afrocentrados, resgate do sagrado ancestral e de um amanhã mais tecnológico.

Com origem favelada, os integrantes do grupo são todos especialistas em canto lírico e possuem um trabalho autoral diverso, ambas características que facilitam na composição e na harmonia deste trabalho. Formado por Ge Vieira, José Junior e Negra Silva, o lançamento do Soul de Brasileiro é produzido e dirigido por Sandra de Sá.

A banda investe na temática afrofuturista e incentiva temáticas negras no trabalho musical.
Foto: Soul de Brasileiro/Divulgação

De acordo com Gê Vieira, o EP é a introdução dos dizeres da Soul de Brasileiro “para os alinhados com o Afrofuturo e suas projeções para todos. Fala de amores pretos, amores possíveis, amores sem preconceitos”, revela.

Além desses destaques líricos e musicais, a banda propõe um visual mais atrativo e aposta na cor neo-mint, que está presente em todos os detalhes do projeto. “A cor tão especial para banda no momento, um tom de verde brilhante, poderia facilmente representar o nosso esforço em busca de uma boa saúde”, afirma Gê Vieira.