Favelas viram miniaturas nas mãos de artista plástico mineiro

O artista possui mais de 14 mil seguidores no instagram (@paivadiegod), onde publica parte de suas crianções

Favelas viram miniaturas nas mãos de artista plástico mineiro

Artista plástico de Belo Horizonte usa casas do Alemão como referência

Colaboração: Ju Oliveira

Com um trabalho minucioso e delicado, o mineiro Diego de Paiva de 31 anos faz sucesso nas redes sociais criando miniaturas de favelas. Formado em artes plástica, o artista desenhava cenários de cidades e foi após uma viagem à Recife, onde ele se apaixonou por uma favela, que o artista resolveu então mudar o cenário das suas crianções.

Hoje Diego desenvolve um trabalho rico em detalhes, com a linguagem urbana que se entrelaça entre o rap e ao grafite, deixando qualquer um de boca aberta com tamanha semelhança das suas obras à realidade. “Vou em alguns morros aqui em BH e fotografo. Também usei algumas fotos de casas no Rio, inclusive do Alemão. A partir das fotos eu faço casa por casa.”, conta Diego. Hoje seus cenários servem inclusive para clipes musicais.

O cuidado com os detalhes chamam atenção no trabalho do artista. Foto: @paivadiegod

Usando como base dos seus trabalhos materiais como resina, plástico, madeira, isopor e massa corrida, a produção de Diego tem um processo bem longo. Ele conta que já demorou cerca de 1 ano para concluir uma obra de uma favela por conta dos inúmeros detalhes que são feitos.

Fios, postes e pichações são alguns dos detalhes encontrados nas obras. Foto: @paivadiegod

O artista possui mais de 14 mil seguidores no instagram (@paivadiegod), onde publica parte de suas crianções e já está sendo procurado por galerias de artes contemporânea para expor seus trabalhos. “Já tem gente tentando levar para fora, to nesse corre de arrumar ai um jeito de levar. Tem um pessoal interessado e estamos conversando ainda pra ver como vai ficar”.

A torcida é para que o mineiro venha apresentar suas obras aqui no Rio, para que as pessoas vejam suas favelas em miniatura pelas mãos desse grande artista.

O comércio das comunidades são representados pelo artista. Foto: @paivadiegod

Deixe comentário