Finais da Taça das Favelas serão disputadas dia 27 de julho, em Moça Bonita

Os portões de Moça Bonita abrirão às 10h para o público

Finais da Taça das Favelas serão disputadas dia 27 de julho, em Moça Bonita

A entrada será franca, mas o estádio é sujeito a lotação

Em seu oitavo ano, a Taça das Favelas Rio contou com o envolvimento de 96 mil jovens e 240 favelas, durante várias etapas. Na fase final, foram 84 favelas masculinas e 24 femininas disputando as partidas da competição, de onde sobraram duas por categoria que vão disputar o título no próximo dia 27 de julho, sábado, em Moça Bonita, estádio do Bangu.

Nas duas categorias do torneio organizado pela Central Única das Favelas (CUFA) e produzido pela InFavela, as finais serão disputadas entre uma favela da Baixada Fluminense e outra da Zona Oeste.

Decidem o tão sonhado troféu Ari Pipa, nome dado em homenagem ao maior incentivador da Taça das Favelas, falecido no ano passado, os complexos do Corte Oito, de Duque de Caxias, e do Curral das Éguas, de Realengo, no feminino, com transmissão do Sportv para todo o Brasil, e os complexos do Patativas, de Campo Grande e do Gogó da Ema, de Belford Roxo, pelo masculino, com transmissão da Globo e também do Sportv.

“A Taça das Favelas mostra, ano após ano, que não é só um torneio de futebol. Temos a capacidade de mobilizar e integrar diversas favelas. Fazendo com que moradores de diversos desses territórios convivam pacificamente em um mesmo ambiente. E a cereja desse bolo será a grande festa que faremos em Moça Bonita nas finais”, comemorou Celso Júnior, diretor geral da Taça das Favelas.

Os jogos da competição começaram em março e aconteceram no Campo do Realengo, também na Zona Oeste do Rio. Antes disso, aconteceram Dias de Peneiras (DIPE’s), workshops sociais e outras atividades, desde o final do ano passado. A fase final da Taça das Favelas Rio 2019 contou com 84 seleções de favelas masculinas, com meninos de 14 a 17 anos, e 24 femininas, com idade livre.

No dia 27 de julho, os portões de Moça Bonita abrirão às 10h para o público. A entrada será franca, mas o estádio é sujeito a lotação. A final feminina terá início às 12h. Os meninos começam a decidir o título, às 14h, com transmissão ao vivo da Globo, com narração de Luís Roberto, comentários de Roger Flores e Alex Escobar. Os ex-craques Paulo Nunes e Grafite fazem a reportagem de campo.

Em ambas as partidas, a campeã será definida nos pênaltis em caso de empate, com três cobranças para cada seleção. Persistida a igualdade, as penalidades irão para as alternadas.

O Corte Oito chega à sua quarta final seguida, e espera sorte melhor do que teve no ano passado, quando perdeu a final por 2 a 1 para a Caixa D’Água, equipe que eliminou nos pênaltis nas quartas de final deste ano. A favela de Duque de Caxias conta com a tradição para buscar o terceiro título da Taça das Favelas.

“Perdemos algumas garotas que estiveram com a gente em competições anteriores. Mas temos camisa, e as outras equipes respeitam o Corte Oito. Com isso, vamos com tudo para lutar por esse tricampeonato”, disse Carlão, técnico do Corte Oito, lembrando dos títulos vencidos em 2016 e 2017.

O Curral da Éguas, adversário do Corte Oito, fez a melhor campanha da competição e também marcou mais gols. Com a campanha, a técnica Monique Oliveira confia que sua equipe pode ganhar o título do principal bicho-papão do torneio feminino da Taça.

“Claro que o Corte Oito é um grande time, mas isso não nos abala. Já nos consideramos vencedoras por estarmos na final, superando tantos obstáculos, que são impostos ao futebol feminino. Mas queremos mais”, vislumbrou Monique.

O Gogó da Ema destacou-se por vencer todos os seus jogos na competição. Além disso, a favela de Belford Roxo tem levado um grande número de torcedores para os jogos do maior campeonato de futebol entre favelas do mundo. Fatores que empolgam treinador e jogadores.

“Para todos nós é um sonho tudo o que está acontecendo com a nossa favela. Alguns dos garotos ainda nem acreditam. Talvez a ficha de alguns só caia, quando verem Moça Bonita lotada pela nossa torcida. E aí, vai ser difícil ter alguém mais motivado que a gente”, celebrou o técnico do Gogó da Ema, Vinícius Giló.

Seu adversário, o Patativas de Campo Grande, chegou na semifinal do ano passado, sendo considerado time sensação daquele campeonato, agora espera ir um pouco mais longe e ganhar o título do seu adversário, mesmo com o Gogó da Ema tendo uma melhor campanha e maior presença de torcida.

“O fato deles estarem levando uma grande torcida só é motivação para a gente. Do nosso lado, nossa comunidade está preparando uma grande festa. Tudo isso vai resultar em um grande jogo, que também será televisionado, e esperamos sair campeões”, falou Denilson Santos, liderança do Patativas.

As finais da Taça das Favelas Rio 2019 têm patrocínio do PicPay e da Friboi, copatrocínio das Casas Bahia e do Box Mineiro, apoio de Euro Sports, Vai Voando, Governo do Estado do Rio, Ministério da Saúde, Comunidade Door, Doctare, Globo, Sportv, Mycujoo e Placar Esportivo. Todos os resultados, tabela e artilharia da competição podem ser conferidos pelo aplicativo oficial da Taça das Favelas.

Deixe comentário