Jovem baleado enquanto trabalhava na Penha é levado para 21ª DP pela PM

José Junior é funcionário de uma loja de água e gás e está sendo acusado pela polícia de ser um dos envolvidos no tiroteio após ser baleado na manhã de hoje, na porta do depósito onde trabalha

Jovem baleado enquanto trabalhava na Penha é levado para 21ª DP pela PM

Reportagem: Melissa Cannabrava e Amanda Botelho

José Augusto da Silva Júnior trabalhava em uma loja de água e gás quando foi baleado na manhã de hoje (1º), durante um tiroteio na comunidade da Merendiba, no Complexo da Penha. Ele foi socorrido no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, e seu estado de saúde é estável.

A mãe do jovem, Iolanda Ferreira de Castro, conta que José Júnior faz 16 anos hoje e foi baleado enquanto trabalhava, mas está sendo acusado pela polícia de ser um dos envolvidos no tiroteio. “Agora eles acham que meu filho é envolvido. O ruim desses casos é isso. Filho de pobre não pode ser baleado que é acusado de ser bandido”, falou para o Voz das Comunidades.

De acordo com informações, José Júnior estava em frente ao depósito de água onde trabalha quando foi atingido por estilhaços após uma viatura da PM realizar disparos contra um carro suspeito.

O responsável pelo depósito, Justin Carlos, também estava no local hora do ocorrido. “Ele trabalha comigo na Rua Merendiba há dois anos. Menino tranquilo, comunicativo, estuda, mas por conta da pandemia está direto comigo. Estamos compartilhando isso por ser tiro e é maior burocracia. Somos negros, favelados e já somos mal vistos. Não podem acusar o garoto sem ele ter nada a ver com isso”, conta.

O jovem baleado teve alta e foi levado pela policia para a 21ª DP, acusado de envolvimento na troca de tiros.

José Junior foi levado pela polícia após receber atendimento no hospital Getúlio Vargas.