Moradores do Alemão temem queda do poste de energia

Moradores estão há 12 meses com problema do poste, mas nada ainda foi resolvido

Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Há mais de 1 ano moradores da Travessa São Felipe, no Morro do Alemão, convivem com a ameaça da queda de um poste de luz na localidade. E, agora, o problema vem se agravando nas últimas semanas devido às fortes chuvas de verão. Com isso, moradores vivem a expectativa de que autoridades solucionem o problema antes de que aconteça uma tragédia anunciada.

O ano de 2021 chegou, porém os problemas ainda são os mesmos de outros anos. Quem mora na Travessa São Felipe convive com o medo da queda de um poste de energia. Entretanto, isso não aconteceu pelo fato de os próprios moradores terem se mobilizado para amarrá-lo. Antes do Natal de 2020, a pedido da associação de moradores da Central, a Defesa Civil esteve na localidade. Mas, apenas isolou o lugar e não deu explicações se medidas seriam tomadas.

Outros postes na região também estão com risco de queda. Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Moradores pedem ajuda

Vera Lucia de Oliveira, de 33 anos, mora em frente ao poste que está caindo. Em sua casa moram, além dela, outras 5 pessoas, dentre idosos e crianças. Preocupada, relatou como tem sido viver com este receio. “Nesse final de ano piorou, com a alta de chuvas, o muro cedeu, e ficamos ainda mais assustados. Nós queremos ajuda, estamos vivendo com medo e terror, porque é uma tragédia já anunciada. Aqui tem muita criança, sobem, descem o faz tempo todo o tempo todo, eu tô vendo a hora de acontecer alguma coisa”. 

Vera próximo do poste de energia reclinado. Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Vera ainda fez contato com a Light sobre a situação do poste de energia. No entanto, foi informada que o local se trata de uma zona ambiental, e não poderiam fazer nada no local. “Eu falei para ela (atendente) olhar de novo. Como assim, que eu moro aqui há 33 anos, como não existe?! E ficou por isso mesmo”.

A moradora ainda faz um apelo às autoridades públicas, “Socorro e ajuda, porque estamos vivendo sob tensão. Só isso que eu peço, que olhem com um pouquinho de atenção para nós”.

O Voz das Comunidades aguarda o retorno e providência dos órgãos públicos responsáveis.