VÍDEO: Curado da Covid-19, morador da Cidade de Deus é recebido com fogos pelos vizinhos

Dono de bar ficou 45 dias internado e teve uma grande recepção ao chegar em casa

VÍDEO: Curado da Covid-19, morador da Cidade de Deus é recebido com fogos pelos vizinhos

Glauco Lima de 36 anos recebeu alta na manhã de hoje (18) após complicações de saúde causadas pela Covid-19. Com direito a fogos, música e muita alegria, o cria da Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio, foi recebido por seus familiares, amigos e vizinhos da Praça Marsena, mais conhecida como a praça das dezessete árvores.

Tudo começou com um resfriado no início do mês de maio, que a princípio teria sido diagnosticado como sinusite, até que Glauco começou a sentir muita falta de ar e foi levado ao Hospital Unimed, e logo teve o diagnostico da Covid-19. No mesmo dia foi transferido para o Hospital Casa Italiano no Grajaú, onde ficou por 1 mês e 15 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) dependendo da ventilação mecânica para sobreviver.

“Quando vimos a foto dele entubado foi muito difícil, foram dias de muita choradeira e tristeza para a nossa família. A nossa mãe é devota de Nossa Senhora Aparecida, durante esse tempo a vida dela foi ficar de joelhos rezando por ele” conta o irmão Márcio Aurélio.

Carla, esposa de Glauco, também foi diagnosticada com a Covid-19 mas se recuperou em casa. Os sintomas foram leves e ela se restabeleceu rápido. Márcio conta que o irmão estava muito feliz, pois havia acabado de abrir seu próprio negócio antes de ser contaminado pelo coronavírus. “O bar tinha pouco tempo aberto. É o sonho dele. Nesse período da internação eu fiquei no bar pra ele, e a esposa e sua família foram amparadas por parentes e amigos.” 

Após 45 dias de muita agonia veio a boa notícia. Glauco que é casado e pai de 2 filhos, estava recuperado e poderia retornar para casa. Ao saber da chegada, vizinhos e familiares se organizaram para receber Glauco com muito carinho. Muitas pessoas se reuniram em frente a casa dele para recepcioná-lo com muita alegria e gratidão. “Penduramos bola, colocamos a bandeira do flamengo, e o louvor que ele gosta. Quando ele chegou e viu, ficou muito emocionado.” completa o irmão.