Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

200 estudantes de favelas da Zona Oeste do Rio assistem ao filme Medida Provisória no cinema

Promovida pela Gerência de Relações Étnico-Raciais da SME em parceria com a Perifa Connection, jovens da EJA puderam ver o longa-metragem no Barra Shopping
Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades
Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Diante da flagrante diferença sociogeográfico da cidade do Rio de Janeiro, é necessário furar a bolha das realidades, expandir e explorar novos horizontes. Levando isso em consideração, cerca de 200 estudantes da Educação de Jovens e Adultos de comunidades de diferentes localidades se reuniram no cinema do Barra Shopping, na Barra da Tijuca, para assistir Medida Provisória, filme dirigido por Lázaro Ramos.

O convite partiu da produção do filme e a ação foi liderada pela Gerência de Relações Étnico-Raciais da Secretaria Municipal de Educação. A frente do setor, Ricardo Jaheem, escritor e professor, foi o responsável pela ação de levar os jovens da EJA para o cinema. “É muito importante pra gente criar essa ponte entre movimento social, produtores de cultura, espaço como o Voz das Comunidade que pode trazer uma imagem diferente pros nossos alunos. Uma imagem positiva sobre os negros, sobre a nossa cultura e sobre a nossa identidade.”

Luan Ribeiro (esq.) e Ricardo Jaheem estiveram à frente da ação
Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Luan Ribeiro, professor e também integrante da Gerência de Relações Étnico-Raciais da SME, atuou na organização junto com Ricardo. “Entraram em contato comigo para avisar que o pessoal do Medida Provisória estava fazendo esse convite. Então nos juntamos e articulamos essa ação. A primeira foi no shopping Nova América, onde levamos mais de 100 jovens. Hoje trouxemos 5 escolas, o que dá 200 alunos. “Segundo Luan, a escolha de utilizar o espaço do Barra Shopping foi simbólico para ação. “Barra da Tijuca é um lugar de elite. Majoritariamente branco. Então é importante trazer esse público negro para assistir um filme com artistas negros”.

Muitos dos alunos que estiveram presentes estavam indo pela primeira vez ao cinema, como era o caso do estudante, Yathan Eurico Cordeiro, de 23 anos. Ele sempre visualizou o cinema a partir de relatos de amigos e também de ter visto as salas pela TV, mas a expectativa era grande para o aluno da Escola Municipal Alfonsus Guimaraens. “Estou feliz e bastante alegre! Só tinha visto pela televisão. É esperar pra ver como é todo o ambiente!”.

Yathan Eurico Cordeiro estava ansioso pela sua ‘estréia no cinema’
Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Além da presença dos alunos, professores e integrantes da Secretaria Municipal de Educação, a ação também foi acompanhada pelo escritor Eliseu Baroni, escritor da Guiné Bissau. “Estou aqui há treze anos no Brasil e a minha formação é na área de literatura africana. Atuo junto na Secretaria de Cultura na Gerência Livre e Leitura e pra mim é fantástico ver o sorriso destes jovens, muitos vindo pela primeira vez no shopping e também em um cinema pela primeira vez.”

Antes da sessão, Eliseu Baroni disse estar impactado na abordagem do filme Medida Provisória
Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Prestigiando o evento, o escritor abordou a importancia do conhecimento dos jovens sobre a realidade do país. “É importante para eles terem essa experiência com um filme que retrata sobre a questão de muitos problemas sociais brasileiros. É muito importante que cada jovem que está aqui possa conhecer esse pedaço da história do Brasil, que parte da reflexão de questões raciais”.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]