AfroGames: primeiro centro de formação de atletas de E-sports em favelas do mundo

O projeto, que nasceu em 2019, visa capacitar e profissionalizar jovens de favela no mundo dos esportes eletrônicos

AfroGames: primeiro centro de formação de atletas de E-sports em favelas do mundo

Foto: Reprodução

O AfroReggae desde 2019 vem atuando nas comunidades de Vigário Geral e Parada de Lucas, com uma ideia inovadora: o primeiro centro de formação de atletas de E-sports em favelas do mundo. O projeto vem crescendo e dando cada vez mais oportunidades aos jovens de periferia de ingressarem no mundo dos esportes digitais. 

Batizado de AfroGames, a iniciativa atende hoje cerca de 109 moradores das comunidades de Vigário Geral e Parada de Lucas, ambas na Zona Norte da cidade. Em 2020, por conta da pandemia da Covid-19, tiveram que suspender as atividades. Mas, retornou neste início de 2021.

Em paralelo a esta suspensão das atividades do Afrogames, os e-games ganharam ainda mais destaque no cenário nacional. Pois, com os esportes tradicionais parados, os jogos eletrônicos dominaram, trazendo ainda mais visibilidade e recolhimento para essa nova modalidade.

Afrogames
O AfroGames é uma porta de acessibilidade cultural e tecnológica para muitos moradores das favelas de Vigário Geral e Parada de Lucas.
Foto: Reprodução

“Nosso projeto é um sonho realizado. Ter o primeiro centro de formação de esports dentro de uma favela foi o caminho que encontramos para trazer os jovens das comunidades para esse novo mundo. A indústrias dos games cresceu na faixa de 30% no último ano e é para esse mercado que queremos formar os jovens. Então, esse é nosso objetivo: resgatar o garoto, a garota que está lá dentro da favela e que não tem condições de comprar um equipamento caro e formar nesse novo mercado de trabalho, entregando todas as ferramentas necessárias para o seu crescimento profissional”, comentou Ricardo Chantilly.

Sobre o Projeto

A iniciativa surgiu com o intuito de dar oportunidades à juventude das favelas do Rio de lutarem pelos seus sonhos. O Centro de Treinamento foi o primeiro especializado em e-sports dentro de uma favela.

Afrogames
Equipe de LOL do AfroGames é formada por moradores de favela e disputa torneios de escala regional e nacional.
Foto: Reprodução

O local que formou 70 jovens no seu primeiro ano cresceu. Agora, oferece também uma sala patrocinada pela HyperX e GOL Linhas Aéreas, para que possam fazer lives de seus jogos favoritos, ensinando e incentivando este novo mercado de criação de conteúdo. Além disso, o projeto investe em novas frentes dando uma bolsa auxílio para 3 jovens da favela. E, foi a sede do projeto AfroReggae que abriu as portas para a iniciativa. Por fim, oferece também cursos de programação de computadores, Fortnite, League of Legends (LOL).

Construído no Centro Cultural Waly Salomão, com toda infraestrutura necessária, desde cadeiras gamers e computadores de última geração.
Foto: Reprodução

Tudo isso é fruto de uma parceria formada pela Secretaria de Estado de Esporte Lazer e Juventude do Rio de Janeiro e HyperX, Gol Linhas Aéreas, Chantilly Produções e Rede Globo através do canal SporTV, através da lei de incentivo. O projeto planeja abrir uma nova unidade no morro do Cantagalo, na Zona Sul, mas visa também chegar a outras comunidades do Rio.

Siga o AfroGames na Twitch e nas demais redes sociais Facebook, Twitter e Instagram.