Alunos da segunda edição do curso Coquetela Rio são certificados pela JUVRio

A iniciativa qualificou 33 jovens gratuitamente para exercerem a profissão de bartender

Foto: Vilma Ribeiro / Voz das ComunidadesFoto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

A Secretaria Especial da Juventude Carioca (JUVRio) certificou 33 jovens formados na segunda edição do Coquetela Rio na última terça-feira (16), no Konteiner, Vila Cruzeiro. A iniciativa da Casa Dona Amélia, em parceria com a JUVRio, ofereceu uma oportunidade gratuita de formação de bartenders que atuarão no ramo de bares e restaurantes da cidade.

Durante todo o ciclo de estudos, que dessa vez aconteceu nas comunidades do São Carlos, Cidade de Deus e na Penha, de maneira presencial, os alunos aprenderam produção e gestão de bares, prática a respeito de insumos, bebidas, destilação, montagem, medidas, modo de preparo, organização e modo de servir. Além disso, realizaram uma vivência prática, possibilitada pela parceria entre professores e estabelecimentos locais.

Com a volta das casas noturnas e grandes eventos na cidade do Rio, o mercado de trabalho na profissão de bartender tende a expandir.

Oportunidades

Aluna do Coquetela, Liriene Silva, de 18 anos, é moradora do Complexo da Penha. Ela ingressou na turma desempregada e sem muitas opções no mercado de trabalho. Mas, através da nova formação, mudou seus horizontes. “Era uma coisa que eu não conhecia. E, aqui eles explicaram a profissão, de como é possível se sustentar através deste trabalho e ter uma vida estável. Este curso já conta como algo no currículo e, com isso, abre portas para nós”.

Liriene Silva está centro da foto com outros demais alunos recebndo o certificado
Foto: Vilma Ribeiro/ Voz das Comunidades

Cria do São Carlos, na Zona Central do Rio, Fábio de Menezes, de 27 anos, falou de como uma oportunidade pode mudar vidas e que precisam ser mais frequentes nas comunidades do Rio. “Ela (oportunidade) veio no momento certo! Estava trabalhando num lugar que não gostava, mas precisava, por conta da renda. Veio uma oportunidade ótima de fazer algo que eu goste e me profissionalizar. Não pensei duas vezes. Larguei tudo que estava fazendo e vim fazer o curso. Nós de comunidade não temos muitas oportunidades assim. A cor (preta) não ajuda muito. Não somos bem vistos. Temos que provar duas vezes que somos melhor. E na coquetelaria isso tudo fica um pouco de lado. O que vale é seu conhecimento e talento. Você faz sua profissão!”. 

Fábio deixou o emprego que trabalhava para ir em busca da profissão dos sonhos.
Foto: Vilma Ribeiro/ Voz das Comunidades

Manutenção pela continuidade

Secretário especial da Juventude, Salvino Oliveira falou da importância de gerar oportunidade aos jovens da favela. “A secretaria da juventude é marcada por gerar oportunidade para a juventude, principalmente a que mais precisa, que é a juventude negra e periférica. O Coquetela, assim como outras ações do Emprega Juve, é voltado para transformar a vida destes jovens, dando uma profissão, um norte e mudando histórias de vida”, afirmou ele, garantindo a continuação da iniciativa, que pode firmar uma parceria com o Konteiner, para ser um local fixo da ação.

Foto: Vilma Ribeiro/ Voz das Comunidades
Certificação de 20h do projeto interdisciplinar da pasta.
Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades