Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Através da capoeira, projeto incentiva a cultura afro-brasileira no Morro do Vidigal

Grupo celebra a cultura da capoeira na favela e ensina sobre a cultura afro-brasileira para mais de 200 jovens
(Foto: Igor Albuquerque / Voz das Comunidades)

Texto: Matheus Andrade | Fotos: Igor Albuquerque
Material produzido para o jornal impresso do Voz das Comunidades – Abril/2023

O décimo Encontro de Cultura Popular agitou o morro do Vidigal. A iniciativa traz como principal pauta: a capoeira. Pivô da ação, o projeto Vidigal Capoeira reuniu diversas atividades voltadas para a cultura Afro-Brasileira.

A capoeira é uma arte marcial que possui uma grande expressão cultural. Mistura esporte com cultura popular, dança e música. A origem da luta vem da época do período escravocrata brasileiro. Muitos negros foram trazidos do continente africano para servir de mão de obra nos engenhos de cana-de-açúcar, nas fazendas de café, nas roças ou nas casas de colonizadores. Na época, eles criaram a capoeira como uma forma de luta e resistência dentro das senzalas, se protegendo da violência e punição dos senhores de engenho. 

Cerca de 240 pessoas são beneficiadas pelo projeto de Capoeira
(Foto: Igor Albuquerque / Voz das Comunidades)

Atualmente, o esporte por si só já é um grande agente social na vida de muitas pessoas. Além disso, ainda se tem a possibilidade de ter o exercício físico agregado à representatividade e tradição.

Dentro desta realidade, Messias Nogueira Freitas, ou Mestre Messias como mais é conhecido, trouxe a capoeira para o Morro do Vidigal. Morador da comunidade há mais de 25 anos, o capoeirista há mais de uma década leva os ensinamentos da arte marcial africana para a favela da Zona Sul.   

“O projeto foi criado com o intuito de contar para os moradores um pouco da cultura afro, e do nordeste também, através da capoeira, de forma gratuita. Desse modo, levando a cultura afro-brasileira para dentro da comunidade”, diz.

Morador do Vidigal, Mestre Messias promove a cultura afrobrasileira dentro da comunidade através da capoeira
(Foto: Igor Albuquerque / Voz das Comunidades)

Messias fala que muito mais que um simples esporte, a capoeira envolve outros setores da nossa vida, como ancestralidade e música.

“Ela é uma das artes marciais que mexe com o seu corpo em um todo. Além da parte espiritual, interfere na parte física, musicalidade, é um esporte completo. Costumo dizer que todo morador de favela já nasce capoeirista por natureza”, completa.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]