Canal de educação abre inscrições para seleção de projetos de curtas-metragens; saiba mais

Iniciativa do Canal Futura, serão selecionados 30 produções; inscrições até o dia 6 de março
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Com o objetivo de ampliar a qualificação e promover a inclusão produtiva de juventudes brasileiras, o Canal Futura, em parceria com a escola Co.Liga, promove o “Edital Curtas Futura + co.liga”. A proposta é contribuir para a qualificação e capacitação dos jovens, que poderão expressar vozes e realidades por meio de materiais audiovisuais. O edital selecionará documentários sobre temas originalmente sociais.

Para se inscrever, primeiramente, o interessado deverá se cadastrar na plataforma co.liga, completar todas as etapas e concluir, no mínimo, dois cursos oferecidos pela escola. A segunda fase se resume apenas no preenchimento do formulário online com as informações da proposta do documentário. As inscrições vão até 6 de março.

A banca avaliadora irá selecionar 30 projetos propostos. Cada um dos vencedores receberá R$12 mil para suas respectivas produções. Os documentários deverão ter entre 12 e 14 minutos de duração e apresentar narrativas que explorem a diversidade de olhares, destacando temas da atualidade com foco em direitos humanos que objetivam a construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

Além do auxílio financeiro, os vencedores terão o apoio na capacitação profissional. Além de cursos disponíveis na co.liga, os selecionados terão o acompanhamento da equipe do canal durante todo o processo de produção do documentário. Após a conclusão da produção, o documentário será exibido no Canal Futura.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]