Com participação do criador digital Rony Oliveira, o espetáculo Musical Favela chega em sua segunda edição

A comédia musical “A gente não desiste” será apresentada às quartas-feiras até o dia 28 de abril por meio das redes sociais
Musical Favela

Foto: Musical Favela/Divulgação

Diferente de como é compartilhado na esfera do senso comum, as favelas são mais do que histórias com finais tristes que priorizam o sofrimento de pessoas faveladas. Na intenção de quebrar essa narrativa preconceituosa imposta nas comunidades do Rio de Janeiro, o espetáculo Musical Favela busca em sua segunda edição, em formato de comédia musical, apresentar vidas e experiências que se encaixam em qualquer cotidiano do Brasil.

Com a temática “A gente não desiste”, o espetáculo gravado na Casa de Show Imperator, Centro Cultural João Nogueira, será apresentado nas quartas-feiras até o dia 28 de abril no perfil do Instagram e no Facebook do Musical Favela. Idealizado e dirigido por Márcio Vieira, a edição neste ano conta com a participação especial do influencer Rony Oliveira, que vem recebendo destaque pelos conteúdos de interação.

Vinculado ao teatro desde cedo, Márcio lembra dos detalhes do dia em que a ideia de criar um espetáculo apresentando o universo favelado, que surgiu através de conversas diárias com os alunos sobre a narrativa violenta e espaços que as comunidades recebem.

“Então, eu dava aula na Central Única das Favelas (CUFA) e no Núcleo Teatro na Cidade de Deus. A ideia inicial surgiu com uma iniciativa dos próprios alunos que questionavam muito a forma de como era retratado morar em uma favela. Nisso, nos reunimos em rodas de debates e ali vi uma possibilidade de falarmos com um olhar de dentro, de quem vive aquilo. No final disso, uma das minhas alunas, uma senhora, me chamou e contou sua vida resumidamente e no final falou: ‘eu tenho meus problemas, mas tomo minha cervejinha, viu!? Não é só tristeza não”, comenta.

A segunda edição do espetáculo conta com a participação especial de Rony Oliveira.
Foto: Reprodução.

Depois desse estalo, ele relata que realizou uma pesquisa em outras favelas do Rio de Janeiro e redescobriu histórias de conquistas, alegrias, amores e, como acontece em todos os lugares do Brasil, tristezas e medos. Então, com o desejo de mostrar que as realidades das periferias podem ser a de qualquer lugar, o diretor convidou o seu amigo Rômulo Rodrigues para escrever os roteiros da peça. O projeto, que em sua primeira edição ficou 7 anos em cartaz, recebeu uma música produzida por Xande de Pilares, Gilson Bernini e o Brasil Quintal.

“A gente não desiste, né? É como diz a música feita para o espetáculo: A verdade da Favela é nossa voz! E vamos continuar gritando até o fim”, destaca.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]