Covid-19 nas favelas: Projeto da Fiocruz inicia vigilância genômica na Maré e Manguinhos

O intuito da pesquisa é acompanhar famílias, fazer uma avaliação da transmissão da doença e o efeito das vacinas contra novas variantes

Covid-19 nas favelas: Projeto da Fiocruz inicia vigilância genômica na Maré e Manguinhos

Foto: Amanda Botelho / Voz das Comunidades

Os pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciaram nesta semana que iniciaram um novo projeto de vigilância genômica nas favelas do Complexo da Maré e de Manguinhos, na Zona Norte da cidade do Rio. As amostras coletadas na iniciativa Conexão Saúde vão passar por estudo. O programa acompanha a população das favelas desde o início da pandemia em março de 2020.

Os impactos da Covid-19 nas favelas foram nitidamente enxergados durante a pandemia, principalmente no que diz respeito à saúde dos moradores. A partir disso, o programa Conexão Saúde da Fiocruz irá realizar um estudo de informações genômicas dessas regiões, e com isso verificar também a eficácia das vacinas contra as novas variantes e linhagens do coronavírus. Genômica é um campo da genética que estuda o genoma completo de um organismo. Essa ciência pode se dedicar a determinar a sequência completa do DNA de organismos ou apenas ao mapeamento de uma escala genética menor. 

Projeto vai acompanhar famílias e avaliar transmissão da Covid-19, além da eficácia de vacinas contra as novas variantes.
Foto: Selma Souza / Voz das Comunidades

Relevância da Pesquisa

Pesquisador e infectologista Fernando Bozza, da Fiocruz, falou sobre a importância deste projeto. “No Brasil e no mundo estão circulando mutações do vírus, e ainda não sabemos se todas as vacinas protegem completamente para estas mutações. Assim, entender quais são as mutações que estão circulando e se pessoas vacinadas estão adoecendo são os objetivos do trabalho que estamos fazendo. Nesse momento é muito importante que as pessoas se vacinem o mais rápido possível com duas doses. Todas as vacinas são boas, mas precisamos garantir que funcionem por muito tempo!”.

A Fiocruz ainda estuda repetir o projeto de vacinação contra o coronavírus em massa, aplicado na ilha de Paquetá neste mês de junho, nas comunidades da Maré e de Manguinhos. Além disso, fará um acompanhamento das famílias ao longo dos próximos meses, junto com a Secretaria Municipal de Saúde. Com isso, novos modelos de vigilância podem ser criados, testando a utilização de novas tecnologias.

De acordo com o  Painel de atualização de coronavírus nas favelas do Rio de Janeiro, feito pelo Voz das Comunidades, atualmente a Maré soma 6.284 casos confirmados de Covid-19 e 292 óbitos. No Manguinhos, já foram registrados 1.637 casos confirmados e 101 mortes.