Depois de 2 anos sem carnaval, brilho retorna à Intendente Magalhães

Primeira noite do carnaval da Zona Oeste do Rio de Janeiro foi de muitas vibrações, alegria, cores para o público
Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades
Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Depois de 2 anos feitos apenas de quartas-feiras de cinzas, o carnaval da Intendente Magalhães, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, finalmente voltou. A alegria estava estampada no rosto dos frequentadores da festa mais popular fora da Sapucaí, assim como integrantes que se emocionaram ao ver suas amadas escolas de samba retornarem à rua.

Abrindo a primeira noite de desfiles na via, o Grupo de Avaliação da Superliga foi com força para Intendente. Os últimos dois anos sem carnaval impactou diretamente as escolas e algumas expressaram diretamente. Entretanto, outras brilharam e fizeram a alegria do público. Império Brás de Pina foi a primeira a se apresentar. Com o tema enredo “Entre Fadas e Bruxas, uma visão infantil entre o sonho e o pesadelo”, a escola foi recepcionada por uma plateia que ainda tomava as arquibancadas. Destaque para comissão de frente que trouxe passos esforçados para a avenida e arrancou palmas do público presente.

A segunda escola da noite, Bangay era a estreante da noite no carnaval Intendente e fez o público vibrar bastante. Com o tema enredo “Os Segredos e Mistérios do 7”, a escola de samba trouxe fantasias luxuosas, coloridas, além de muita simpatia para a avenida. A saia da porta-bandeira trouxe uma iluminação de LED que chamou a atenção pela criatividade. A agremiação deixou a avenida sendo muito aplaudida pelo público.

Respectivamente, Coroa Imperial e Alegria do Vilar vieram na sequência. Enquanto Alegria do Vilar finalizava o desfile, a torcida da Flamanguaça borbulhava na Intendente Magalhães. Recepcionada com bandeiras em vermelho e preto e o canto na ponta da língua, a escola foi ovacionada ao desfilar e concluiu o percurso sem problemas.

Com o enredo “Mitos, Lendas, Devoção… Adoração. Mocidade Unida Canta o Sol, a Divina Criação, a Mocidade Unida da Cidade Deus trouxe mistério para a avenida. A comissão de frente realizou uma apresentação que impressionou os jurados, com uma transformação mística de trevas para luz. A escola inovou no colorido ao usar materiais alternativos para utilizar em esplendores e a bateria. Terremoto fez as arquibancadas tremerem a Intendente Magalhães.

A alegria abalada feito terremoto
Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Camisa 10, Unidos da Barra da Tijuca, Unidos de Cosmo e Império da Zona Norte também foram atrações da primeira noite. A Coroado de Jacarepaguá chegou contando a própria história, mostrando assim o orgulho da agremiação ao superar as barreiras financeiras dos últimos 2 anos. A escola usou bastante suas cores amarelo e preto, mas se aprofundou no colorido e em fantasias bem acabadas.

O público da primeira noite também pôde conferir as apresentações da Concentra Imperial, Unidos do Cabral, Império de Nova Iguaçu e Tubarão de Mesquita. Colibri, que estava na programação, não conseguiu estar presente na avenida.

Os raios de sol já rompiam o horizonte quando a Gato de Bonsucesso entrou na avenida. Mesmo com pouco público, a escola fez um desfile empolgante, abusando muito de diferentes tonalidades do azul e branco, que são as mesmas de sua bandeira. Com o enredo “Respeito é bom e eu gosto”, a escola do Complexo da Maré bateu na cara do preconceito que atinge classes periféricas.

Flor de Jardim terminou o primeiro dia de desfiles na Intende Magalhães. No dia 22, tem início a Série Bronze na avenida da Zona Norte e o Voz das Comunidades está presente para mostrar os desfiles e destaques da noite!

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]