Estão abertas as inscrições para o CPX Free Fire no Complexo do Alemão; Saiba como participar

Haverá premiação, medalhas para os três melhores colocados e as vagas são limitadas
celular-free-fire

Foto: Reprodução

Estão abertas as inscrições para o campeonato de Free Fire no Complexo do Alemão. O torneio tem o intuito de dar uma oportunidade aos milhares de jogadores do mobile game da comunidade. O squad vencedor pode faturar R$ 1.200 reais.   

O Free Fire é um jogo eletrônico mobile de ação-aventura do estilo battle royale. O jogo chegou ao mundo dos “games” no ano de 2017 e conquistou rapidamente a geração jovem. Além da jogabilidade, o Free Fire acaba sendo mais acessível para pessoas com aparelhos celulares mais simples.

A ideia do campeonato no Alemão é a oportunidade dos jogadores se apresentarem para o cenário do FF, além de descobrir novos participantes. Vai existir a possibilidade também de indicação para organizações profissionais de Free Fire.

A inscrição vai custar em torno de R$40 por squad e terá premiação para as três equipes mais bem colocadas. 

Sobre o campeonato

O CPX Free Fire está previsto para acontecer no dia 19 de setembro, domingo, às 14h, no Espaço Nova Estrela, Rua Canitar 176, em Inhaúma, Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio. “Players” de outros lugares também podem se inscrever. 

O torneio é no formato de squad, com até 4 integrantes, no campo aberto. A classificatória será da seguinte forma: uma queda por grupo, sendo as seis melhores equipes as que avançam para a próxima fase.

Vale ressaltar que, mesmo pelo wifi, cada participante é responsável por sua própria internet. O melhor jogador do torneio ganha uma bonificação de R$100.

Para se inscrever basta mandar mensagem para os números  (21) 96616-8028 (TioBill) ou 99968-0110 (Ninhozera).

Confira o vídeo a seguir:

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]