Fiocruz avalia possibilidade de vacinação em massa de adolescentes da Maré

A ação seria a segunda realizada nas 16 comunidades do Complexo da Maré
51352651843_d474c6c0ca_o

Foto: Selma Souza / Voz das Comunidades

Após a primeira campanha de vacinação em massa no Complexo da Maré, onde cerca de 36 mil moradores receberam a primeira dose do imunizante contra o coronavírus, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) analisa a ampliação da iniciativa para adolescentes nas 16 favelas da comunidade, que possui 140 mil habitantes.

Nessa segunda etapa de vacinação na Maré, a Fiocruz avalia a imunização de 12,6 mil adolescentes que residem no território com a aplicação de doses de Oxford-AstraZeneca, produzidas pela Fundação Oswaldo Cruz. Contudo, para que isso aconteça, aguarda ainda a autorização da Anvisa para aplicação. No Brasil, apenas a vacina da Pfizer está liberada para pessoas de 12 a 17 anos.

Nas próximas semanas, a fundação apresentará os primeiros dados da primeira etapa da #VacinaMaré, divulgando o percentual de pessoas com anticorpos contra o coronavírus. A pesquisa deve ser realizada novamente após três meses.

Segundo os dados atualizados do Painel de Covid-19 nas favelas do Rio de Janeiro, do Voz das Comunidades (atualizado com dados das Prefeitura do Rio de Janeiro, Governo do Estado do Rio de Janeiro e clínicas de saúde nas comunidades), o Complexo da Maré teve 6921 casos de coronavírus, com 329 óbitos.

A campanha da Fiocruz visa a vacinação dos adolescentes da Maré.
Foto: Selma Souza/Voz das Comunidades


Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]