Governo RJ envia documento para STF afirmando que está seguindo plano de redução de letalidade policial

Instituições em defesa dos direitos humanos e partidos políticos criticam o plano do Estado, por acreditarem ser medidas genéricas
Foto: Mauro Pimentel
Foto: Mauro Pimentel

Em comunicado ao Supremo Tribunal Federal (STF), a gestão do governador Cláudio Castro afirmou que as ações policiais estão seguindo as determinações da Corte a respeito da redução da letalidade conforme solicitado.

Segundo a posição do Governo do Rio de Janeiro, o Executivo ainda encaminha a instalação das câmeras nas viaturas e nas fardas policiais, tal ação que visa a diminuição de atos violentos. Em São Paulo, por exemplo, a adoção deste método na estratégia de segurança pública do Estado diminuiu em 87% os confrontos relatados pelos PM.

Ainda que o Supremo Tribunal Federal tenha determinado a implantação destes aparelhos nas ações e operações dos Policiais Militares, a instituição ainda não ultrapassou o prazo de 180 dias estabelecidos pelo órgão do Poder Judiciário (que se esgota no dia 1° de agosto de 2022).

Contudo, o plano elaborado pelo Governo recebeu duras críticas de partidos e instituições por apresentar medidas genéricas e não contar com um cronograma ou previsão de recursos financeiros. O Partido Socialsita Brasileiro (PSB), o Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos da Defensoria (NUDEDH) do Rio de Janeiro e outras entidades solicitaram que o ministro Edson Fachin não realize a homologação deste planejamento.


Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]