Há 40 anos, Rádio Estilo Livre desempenha função social e musical no Vidigal

Criada pelo cearense José Wanderley, a rádio comunitária é uma referência na liderança local

Foto: Vilma Ribeiro / Voz das ComunidadesFoto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Na vida de José Wanderley Gomes da Silva, de 55 anos, a música sempre soou de maneira diferente. DJ e morador do Vidigal há 53 anos, as faixas musicais fazem parte da sua rotina e, desde sempre, apresentam-se como o próximo ritmo a ser tocado. Entre equipamentos pesados, como caixas de som e toca-discos, e no embalo das produções de instrumentais próprias, ele destaca um papel de importância na transformação social na favela da Zona Sul: a de radialista na Rádio Estilo Livre. 

Em frente às transmissões da rádio comunitária, que funciona em uma plataforma online, Wanderley, como é mais conhecido, desempenha a articulação social em eventos e ações para o Vidigal. Na programação diária que vai para o ar, ele reivindica as demandas de moradores ao poder público e às instituições que acompanham a grade do Estilo Livre. 

“Então, a rádio surgiu nos anos 80. Como podem perceber, eu que sou DJ, amo música, e naquela época o sinal da transmissão tradicional não chegava em boa qualidade no Vidigal. Chiava demais. Por isso, me interessei nessa área e comecei a ver como criar uma local, me capacitei e criei a Estilo Livre, que não possui fronteiras e nem barreiras”, destaca. 

Atualmente, a rádio comunitária, que já teve quatro sedes diferentes no Vidigal, fica localizada na rua Benedito Calixto, número 10, no Centro Comercial. De lá, Wanderley comanda os diversos estilos musicais, da Black Music ao Funk carioca, do Rap ao Pagode e etc. Porém, a questão musical não é a única frequência que a Estilo Livre transmite. Na liderança do radialista, a iniciativa participou ativamente da construção de eventos sociais, como os antigos bailes Charme do Vidigal e ações solidárias. 

“A rádio é um espaço para dar voz à comunidade. Aqui, a gente divulga tudo que acontece no Vidigal. Além disso, constrói uma rede de apoio muito forte. Antigamente, as festas de aniversário do Estilo Livre, que aconteciam no final do ano, reuniam toda a favela. Era lindo!”, relembra. 

Em decorrência da pandemia, as atividades presenciais que a Estilo Livre organiza foram pausadas por tempo indeterminado. Mas, nem o coronavírus conseguiu afastar a comunidade da rádio. Uma das soluções encontradas por Wanderley nesse período foi migrar o sinal, que antes era FM, para uma plataforma online. Com essa ação, é possível realizar entrevistas à distância, pois, além de realizar esse trabalho de transformação social na favela, a rádio também auxilia no desenvolvimento e na divulgação de artistas locais.  

“A Estilo Livre é reconhecida dentro e fora do Vidigal e isso é um mérito da comunidade que sempre apoiou. Por aqui, já entrevistamos celebridades, como Alcione, Grupo Revelação e outros. Também, realizamos gravações de artistas locais e ajudamos na divulgação do trabalho, pois ainda temos um contato frequente com gravadoras de música”. 

Há 41 anos ativa no Vidigal, a Estilo Livre já recebeu nove menções de reconhecimento da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, na categoria Moção (movimentos). “Eu já dei palestras em faculdade sobre mídias independentes, sem ter um diploma de Ensino Superior. E pensar que minha mãe já brigou comigo quando decidi criar a rádio, pois ela pensou que não ia dar certo, mas hoje ela reconhece que tudo vale a pena (risos)”, brinca.