Instituto Raízes em Movimento promove festival cinematográfico “Memórias Faveladas”

Totalmente online e gratuito, a mostra vai estar disponível até o dia 30 de agosto no canal do Youtube do projeto
Raizes em Movimento

Foto: Reprodução / Raízes em Movimento

O Instituto Raízes em Movimento, do Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio, está promovendo o festival Memórias Faveladas, que é uma comemoração pelo encerramento do Projeto Faveladoc 3.0, com a exibição de alguns filmes produzidos nas periferias cariocas. Mostra Memórias Faveladas vai até o dia 30 de agosto de 2021, totalmente online e gratuito. O intuito é exaltar a criatividade, reinventando os caminhos com a arte.

A Mostra Memórias Faveladas é um marco simbólico para o Complexo do Alemão e para o projeto Faveladoc. A ação visa realizar pontes entre produções cinematográficas de várias partes do Rio de Janeiro, que traduzem bem as particularidades de favelas e suas histórias, assim como narrativas que contam muito sobre a formação sociopolítica de cada território. E, que, através das memórias, podem ser contadas pela ótica da favela, colocando o morador como protagonistas de uma construção identitária.

Coordenador do Raízes em Movimento, David Amen, de 40 anos, fala sobre o Memórias Faveladas. “Tem 22 filmes amostra. A maioria deles tem o perfil de narrar, contar as memórias de alguma favelas do Rio de Janeiro (…) Essas produções são muito importantes para as favelas, além de contar nossa próprias histórias, elas garantem que elas sejam escritas e guardadas de uma maneira que elas construam o próprio futuro das comunidades e seus territórios. Um local sem história, sem memória, não sobrevive, não resiste as ‘arduras’ do sistema”.

Fundado em 2001 no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio de Janeiro, o Instituto trabalha com pesquisa, comunicação e juventude.
Foto: Acervo Pessoal

Cinema pela visão da favela

O projeto é uma oportunidade de reunir no mesmo ambiente um alto nível de produções independentes que caracterizam bem toda diversidade entre cada localidade. E trazem temas relevantes para a preservação de memórias que remontam discursos a partir da construção narrativa exposta em cada abordagem. Seja a favela em sua majestosa realidade ou uma manifestação cultural, são criações que movem reflexões e não apenas entretenimento.

Alunos do Faveladoc durante as gravações com Dona Josefá.
Foto: Raízes em Movimento

A obra principal do Memorias Faveladas é o curta-metragem produzindo pelos alunos do Faveladoc, “Dona Josefá”, que conta a história de uma mulher nordestina, de 65 anos, que mora no Complexo no Alemão e voluntariamente trabalha com reciclagem e reaproveitamento de materiais sólidos.

Para conferir as produções basta acessar o canal do Raízes no YouTube neste link.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]