Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Jovens de Rio das Pedras e Vila da Penha realizam sonho de conhecer o Maracanã

Crianças e adolescentes foram levados ao estádio por meio do programa Passaporte Cultural
Crianças de Rio das Pedras e Vila da Penha visitam ao Maracanã. (Foto: Rafael Campos/Passaporte Cultural )
Crianças de Rio das Pedras e Vila da Penha visitam ao Maracanã. (Foto: Rafael Campos/Passaporte Cultural )

Crianças e adolescentes das comunidades de Rio das Pedras, na Zona Oeste do Rio, e Vila da Penha, na Zona Norte, realizaram uma visita ao Maracanã na última quarta-feira (21). Os jovens foram levados ao local pelo programa Passaporte Cultural, do Governo do Estado.

Ao chegarem no estádio, os cerca de 50 jovens ficaram emocionados. Foi o caso de Wiversson Luiz da Silva, de 13 anos. O menino, morador da Vila da Penha, sonha em ser jogador de futebol pelo Flamengo. “Foi a primeira vez que pisei no Maracanã. Fiquei me tremendo todo. Nem todas crianças podem vir aqui. Estou muito feliz de ter tido essa oportunidade”, comemorou Wiversson.

Crianças de Rio das Pedras e Vila da Penha visitam ao Maracanã. Wiversson Luis da Silva Nunes (Foto: Rafael Campos / Passaporte Cultural)

Ao lado de outras crianças e adolescentes que também desejam se tornar jogadores, outro menino que participou da visita, Daniel Aattla, de 9 anos, também morador da Vila da Penha, foi vestido especialmente para ocasião com as suas chuteiras e camisa do Flamengo. Animado, ele conta que curtiu cada detalhe do passeio. “Gostei de ver as bolas, as camisas dos jogadores, os pés deles marcados. Foi tudo muito legal”, comentou Daniel.

Daniel Aattla Fonseca foi trajado com as roupas do Flamengo. (Foto: Rafael Campos / Passaporte Cultural)

Moradores de Rio das Pedras, Ana Caroline Felisbino, de 14, e Manoel Carlos Florencio, de 16, são alunos da ONG Cine e Rock, que atende 448 jovens em atividades de cultura, esporte, lazer e educação na comunidade onde moram. Ambos, estavam muito felizes de conhecer de perto as instalações do Maracanã. “Há quatro anos, estive aqui (no Maracanã) durante um jogo. Mas, fiquei apenas na arquibancada. Hoje, tive a chance de ver tudo de perto e pisar no gramado. Foi incrível”, comentou Manoel que faz coro com Ana Caroline. “Gostei de tudo que vi aqui”.

Ampliação do acesso à cultura

A iniciativa da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa atende escolas, instituições beneficentes, associações de moradores e organizações culturais comunitárias. Grupos são levados para conhecerem, gratuitamente, museus, casas de espetáculo, bibliotecas e outros equipamentos culturais.

Para Léu Oliveira, de 30 anos, diretor fundador da ONG Cine e Rock, a maior importância da participação desses jovens no Passaporte Cultural é promover a formação de plateia. “Um dos nossos objetivos é poder tirar essas crianças e adolescentes de dentro da comunidade. Rio das Pedras é muito grande e esses jovens têm tudo lá dentro. Com o Passaporte Cultural, temos a oportunidade de mostrar para eles um mundo de novas possibilidades e ambientes”.

Crianças de Rio das Pedras e Vila da Penha visitam ao Maracanã. Léu Oliveira (Foto: Rafael Campos /Passaporte Cultural)

Conheça e participe do Passaporte Cultural

O Passaporte Cultural foi criado sob o decreto nº 47.645 de 14 de junho de 2021. O programa fortalece de forma significativa as políticas públicas salvaguardadas na Lei 7035/2015, que institui o Sistema Estadual de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, criado com o intuito de fomentar e incentivar a cultura em território fluminense.

Para quem deseja conhecer o Passaporte e participar, basta entrar em contato por meio do e-mail [email protected].

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]