Piloto de mototáxi no Vidigal inova com forma de pagamento das corridas

Com a novidade, o mototaxista Evandro Ribeiro atrai mais passageiros e faz mais viagens
Foto: Evandro Ribeiro / Arquivo Pessoal
Foto: Evandro Ribeiro / Arquivo Pessoal

Um tipo de transporte característico das comunidades do Rio de Janeiro é o mototáxi. Possibilitando agilidade no transporte dentro das favelas, a modalidade é muito utilizada pela população que necessita desse transporte.

Para pagamentos das corridas, os mototaxistas geralmente aceitam dinheiro ou pix. No entanto, um motociclista que presta serviço ao Vidigal apareceu com uma novidade para o contexto: o pagamento por QRCode.

Publicado na página Parceiros do Vidiga, Evandro Ribeiro tem 32 anos e há 18 atua como mototáxi na comunidade. Mas, para otimizar as corridas, colocou o QRCode de pagamentos em seu colete. Segundo ele, a ideia surgiu baseado na patricidade. “Pra evitar conversa na moto, passar a chave PIX, justamente por conta da atenção no trânsito… Ou fazer o pagamento depois que chega, demanda muito tempo. Com o QR Code, a pessoa já faz o pagamento na moto e tudo fica mais rápido”.

Evandro trouxe comodidade para moradores (Foto: Arquivo Pessoal)

Evandro relata que houve um aumento na demanda de passageiros por conta da novidade e muita gente gostou do novo método de pagamento. “É o momento, né? Hoje em dia é tudo é por telefone. É a praticidade. Eu já cheguei a aceitar cartão de crédito e débito, mas ninguém anda mais com isso. É tudo no celular”.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]