“Nossa casa é o nosso lugar de descanso e não é fácil perder isso”, relata morador afetado por deslizamento no Alemão

Há 20 anos morando no Morro dos Mineiros, João Paulino busca forças na comunidade para reconstruir sua casa

Foto: Matheus Guimarães / Voz das ComunidadesFoto: Matheus Guimarães / Voz das Comunidades

Os intensos temporais dos últimos dias no Rio de Janeiro têm tirado o sono de muitos moradores de comunidades da cidade do Rio. Com inúmeras casas localizadas nos altos dos morros cariocas, os riscos de deslizamentos crescem consideravelmente neste período de chuvas de verão.

Uma das pessoas afetadas foi o trabalhador autônomo João Paulino da Silva, de 50 anos. O morador viu a casa que construiu ser partida ao meio por uma árvore que deslizou na localidade do Morro dos Mineiros, no Complexo do Alemão, Zona Norte, no último sábado dia (08). 

O incidente

Felizmente o acidente não deixou vítimas. Isso porque, desde às 09h da manhã, os moradores da região já estavam atentos com a situação do local. Pois, uma árvore de pequeno porte já havia desabado próximo das casas que posteriormente vieram a cair na parte da tarde. João não estava em sua residência na hora do acidente. Tinha saído para almoçar, quando recebeu o telefonema de vizinhos o informando sobre o deslizamento. A Defesa Civil do Rio foi acionada pelo Voz das Comunidades e uma inspeção foi realizada pelos engenheiros.

A parte inferior e da casa e parte do segundo andar foi destruída por causa do deslizamento.
Foto: Matheus Guimarães / Voz das Comunidades

“Foi uma coisa horrorosa que a gente realmente não espera. Agradeço muito a Deus por estar aqui vivo hoje porque foi um livramento. Nossa casa é o nosso lugar de descanso e não é fácil perder isso. Trabalhar o dia todo e não ter um lugar onde dormir é difícil. Uma coisa que vem sendo construída a mais de 20 anos em 1 minuto se desfazer desse jeito. Você fica sem chão!”.

O morador praticamente construiu sua casa do zero, e nessas duas décadas que reside na localidade, relatou que  nunca tinha acontecido nada na mesma intensidade como ocorreu neste final de semana. A região onde João mora é uma zona composta por uma galeria de águas naturais, o que acaba comprometendo a estabilidade do solo.

Recomeço

“As coisas são materiais, mas a nossa vida não! Ela é o nosso bem maior. Então fico aliviado por estar aqui com vida. Tenho recebido muito apoio deste lugar e da minha comunidade. Tenho certeza que com esse apoio a luz não vai se apagar. Se não fosse isso, não estaria de pé!”.

O morador tem como desejo de reconstruir seu lar. Com isso, pede a ajuda daqueles que puderem somar nesse processo. Para falar com o senhor João Paulino, basta entrar em contato com seu número de telefone e WhatsApp 21 98939-4853. Filha mais velha do trabalhador, Raiza Lorane, criou uma “vakinha” para ajudar o pai. Através DESTE LINK é possível ajudar João Paulino.