Parque Ary Barroso na Penha celebra dia da árvore com plantio de 11 novas mudas

O espaço, que há 10 anos sofria com o descaso e abandono por parte do poder público, recebeu a ação que marca um recomeço

Foto: Vilma Ribeiro / Voz das ComunidadesFoto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

No dia da árvore, o Parque Ary Barroso, Penha, localizado na Zona Norte da cidade, recebeu um plantio de onze árvores em suas áreas verdes. O evento aconteceu nesta terça-feira (21) e a ação foi uma das formas de celebrar a nova fase do Parque. O ambiente, que sempre ofereceu diversão e lazer para os moradores da Penha e adjacências, há mais de 10 anos estava sofrendo com o abandono do poder público.

Em maio deste ano, após inúmeras reclamações de moradores e lideranças locais exigindo a revitalização do parque, a Fundação Parques e Jardins (FPJ), em nota, afirmou que existia um plano de recuperação do local. Pouco mais de 4 meses depois, o espaço recebeu uma manutenção mais completa, além de novas mudas de árvores, que foram plantadas por representantes da Prefeitura e frequentadores do espaço.

Alguns moradores da região estiveram presentes para prestigiar a retomada do parque.
Foto: Vilma Ribeiro/Voz das Comunidades

Memória do parque

Flank Portella, de 47 anos, é atualmente integrante do Instituto Brasil Vida, que tem parceria com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Durante uma viagem ao Espírito Santo, Flank acompanhou a matéria do Voz das Comunidades falando sobre o abandono do Ary Barroso e ficou triste com a situação do local, já que o frequentou muito quando criança, tendo sido morador da Vila Cruzeiro, Penha. Hoje ele teve a oportunidade de retornar ao local através do Instituto e celebrou o recomeço.

Flank ressaltou a importância das pessoas de comunidade batalharem pelo seus espaços.
Foto: Vilma Ribeiro/ Voz das Comunidades

“Pra mim, é gratificante porque fui frequentador do parque quando era morador da Penha. Já fiz piqueniques, banho na cascatinha que tinha aqui. Este é um espaço que tem que ser mais aproveitado pela população, pelo bairro, pela comunidade, e também por todas da Zona Norte como já foi um dia. A plantação das árvores hoje aqui é significado de vida, do ressurgimento da vida neste local”, afirmou Flank.

Novas árvores plantadas

Gerente da Gestão de Praças e Parques históricos da FPJ da Prefeitura do Rio, Luciano Caetano falou da relevância da ação do plantio de novas mudas de árvores no local. “O parque acabou sendo enfraquecido com as instalações contidas em volta dele. Mas, desde o início do atual mandato, existe um esforço para recuperar as características do Parque. Um dessas ações é fortalecer esse conjunto arbóreo com a introdução de novas árvores, com onze novas espécies de árvores, como sibipirunas, pau-brasil e pezimtabá”, informou o gerente. 

Luciano (a esquerda) participou do plantio das mudas de árvores.
Foto: Vilma Ribeiro/Voz das Comunidades

Retomada de um espaço de referência

Um dos articuladores das intervenções no Parque foi o vereador Victor Hugo (MDB). Ele comentou também sobre a importância da Zona Norte voltar a ter uma referência de espaço aberto verde para as famílias.

O vereador do MDB afirmou que as melhorias no local vão continuar. 
Foto: Vilma Ribeiro/ Voz das Comunidades

“O local estava cheio de viaturas espalhadas e decidi fazer um pedido para o Prefeito (Eduardo Paes) para remover os carros. O próximo passo é remover a Upa dentro do Parque e transferi-la para o prédio ao lado. A intenção é que aqui volte a ser parque, se é um parque municipal tem que ser tratado como é. Trazer as famílias de volta”. Uma das expectativas do vereador é continuar com as manutenções que estão sendo feitas e voltar com a academia da terceira idade.

Personagem desta história, o professor de atividades físicas infantis do projeto Arte Transformadora e morador do Complexo da Penha, Rene Júnior, que utiliza o local para os treinos do seu time de futebol, falou com alegria sobre este início das melhorias do parque e ressalta que não pode parar por aí.

“É de suma importância, principalmente para nossas crianças que estão chegando agora, e não tiveram a memória que temos daqui. Poder reconstruir isso para eles é o mais importante. Novas memórias. Esperamos mais. estamos nessa luta há 5/6 anos. Abrir de novo os portões do parque que um dia já estiveram fechados. Isso nos dá muito orgulho. Saber que também fazemos parte desta história de revitalização do Parque Ary Barroso”.