PMs envolvidos em ação que ocasionou na morte de Kathlen Romeu são afastados das ruas

Segundo familiares da jovem, o projétil de arma de fogo partiu da corporação militar

PMs envolvidos em ação que ocasionou na morte de Kathlen Romeu são afastados das ruas

Foto: Reprodução/Instagram

Investigando as circunstâncias da ação que resultou na morte da decoradora de interiores Kathlen Romeu, de 24 anos, na última terça-feira (08), a Delegacia de Homicídios da Capital e a Corregedoria da Polícia Militar afastaram dos trabalhos e procedimentos, realizados nas ruas, doze policiais militares envolvidos na ação no Lins.

Além deste procedimento, a perícia solicitou as armas (fuzis) e as munições utilizadas pelos agentes para averiguar a origem do disparo. Ao todo, 21 armas foram apreendidas. Alvejada no tórax por um tiro de fuzil enquanto visitava a família na Vila Cabuçu, na comunidade de Lins de Vasconcelos, a jovem estava grávida de 14 semanas.

Em nota, a Delegacia de Homicídios da Capital, que investiga o caso, alegou que, em paralelo com outras apurações da Polícia Civil e da Coordenadora de Polícia Pacificadora (CPP), instaurou um procedimento para averiguar as circunstâncias do crime.

Segundo familiares de Karen, o projétil de arma de fogo, que matou a jovem, partiu da ação violenta dos policiais militares que efetuaram disparos assim que entraram na comunidade.