Projeto de boxe no Morro do Tuiuti transforma a vida de jovens por meio do esporte

Treinador principal do Instituto do Morro para o Ringue, Duck usa sua história de superação para incentivar seus atletas

Projeto de boxe no Morro do Tuiuti transforma a vida de jovens por meio do esporte

Foto: Bruno Itan

No Morro do Tuiuti, na Zona Norte da cidade do Rio, o Instituto do Morro para o Ringue vem mudando a vida de crianças e jovens da favela. O projeto que funciona de maneira independente, conta com voluntários, mas virou uma porta de transformação social na comunidade.  

Em 2017, por conta da vontade de mostrar para as crianças da comunidade do Tuiuti que através do Boxe é possível mudar de vida, o casal Bruna Mendes, de 25 anos, e seu esposo Glaucio Rodrigo de Souza, de 32 anos, decidiram criar o Instituto do Morro para o Ringue. Glaucio, mais conhecido como Duck, é o treinador principal do projeto e teve que lutar muito fora dos ringues ao decorrer da sua vida. Duck precisou ressocializar-se na comunidade, após 7 anos de reclusão por envolvimento com o tráfico, onde aprendeu boxe na penitenciária. Com isso, depois de ter sua liberdade, foi trabalhar em uma academia (onde conheceu a esposa Bruna), e se formou como treinador de atletas. 

Turma Kids do Instituto do Morro para o Ringue.
Foto: Reprodução

“Eu tive um passado cheio de tristezas e muitas perdas. Passei um tempo com a cabeça só pensando besteira. Fui preso, e o que me deu uma esperança nova de vida foi o projeto. Agarrei a oportunidade que tive e voltei a viver de novo. E hoje tento não só mostrar a oportunidade que eles têm através do projeto, mas sim também as coisas boas da vida e o que eles podem alcançar, não só com a luta mas o que eles são capazes”, falou Duck.

Duck é muito querido na comunidade por estar fazendo tanto pelas crianças e jovens da comunidade.
Foto: Rodrigo Ferreira

Para além dos ringues, o Instituto realiza ações sociais destinadas às famílias dos alunos que estão sendo afetados pela crise financeira por causa da pandemia da Covid-19. Já foram doados mais de 800 cartões alimentação por meio da rede Gerando Falcões, mais de 900 cestas básicas através de amigos do projeto, produtos de higiene pela Granado Pharmácias. Bruna fala com emoção sobre o sentimento de estar fazendo este trabalho para as crianças no Morro do Tuiuti. “Eu vi a esperança através desse esporte, e que é possível mudar vidas e fazê-los enxergar que não precisa ir para um caminho ruim. Sentimento de gratidão à vida, e a saúde que Deus nos proporciona. Estar com crianças e educá-los através do esporte é maravilhoso”.

Bruna Mendes fala de como o projeto é sustentado pelo carinho e pelos voluntários. Foto: Reprodução / Instituto do Morro para o Ringue

Uma moradora que foi impactada diretamente pelo projeto é Anna Beatriz Silva, de 17 anos. A atleta iniciou como aluna e hoje é uma das atletas e instrutoras do Instituto. “Conheci o projeto através das redes sociais, porém só entrei com um empurrãozinho dos meus irmãos. Foram eles que começaram a praticar o esporte, e eu vi aquilo ali e me interessei. Foi aí que comecei praticar o esporte. Agora é o único compromisso. Estou sem estudar e os treinos é a preparação física todos os dias. A Bruna e o Duck tem aquele prazer de me levantar, pegam no meu pé, chamam a atenção, corrige quando estou errada e agora estão me preparando para ser professora de Boxe. Me deram uma oportunidade e hoje dou aula para meninas de 5 a 17 anos. Enfim, estamos na luta por um futuro melhor”, relatou Anna.

Anna conheceu o projeto nas redes sociais, e desde então mudou de vida.
Foto: Bruno Itan

Atualmente, são 150 alunos que fazem parte do projeto, inclusive, de outras comunidades. As aulas acontecem no Campo do Mineiros no Morro do Tuiuti. As aulas gratuitas de boxe acontecem de segunda a sexta-feira, das 14h às 16:30, e tem 5 turmas, sendo elas: Boxe Kids (Meninos de 4 a 9 anos); Boxe Infantil (Meninos de 10 a 17 anos); Boxe Girls (Meninas de 4 a 9 anos); Boxe Feminino (Meninas de 10 a 17 anos) e o Boxe Competição (são crianças que depois de uma avaliação técnica passam a ser atletas e começam a treinar nesta turma para competir).

O Instituto do Morro para o Ringue visa agora fazer melhorias no espaço, para aumentar o número de alunos e não deixar com que os outros saiam. Conheça o projeto pelo Instagram Instituto Morro para o Ringue.