Secretaria de Obras e Infraestrutura realiza visita técnica em Teleférico do Alemão

Com o objetivo de verificar a atual situação das estações, a reabertura é uma das promessas da atual gestão do Governo

Foto: Reprodução/Internet

No final da manhã e início da tarde desta segunda-feira (19), o secretário Max Lemos, da Secretaria de Obras e Infraestrutura, e uma equipe da pasta, estiveram na estação do Teleférico de Bonsucesso, Adeus, Baiana e Alemão, na Zona Norte da cidade do Rio, para realizar uma vistoria técnica nos locais. De acordo com as informações, a pasta ainda realizará, nesta semana, outras vistorias nas restantes para identificar a atual situação em cada unidade de transporte. A visita também contou com a presença do secretário Thiago Pampolha, Secretário de Estado do Ambiente, grande articulador da iniciativa.

Em maio deste ano, o atual governador do estado do Rio Claudio Castro (PL) anunciou a pretensão de contratar uma nova empresa para o teleférico do Complexo do Alemão. Em junho, através de uma nota para a reportagem do Voz das Comunidades, o Núcleo de Mídia Alternativa e Comunitária, área de comunicação do Governo do Rio que cuida dos assuntos relacionados às comunidades cariocas, informou que o projeto de recuperação das estações de energia do Teleférico do Alemão havia sido concluído.

O retorno das atividades do Teleférico do Alemão tem sido uma promessa constante na atual gestão do Governo do Rio de Janeiro.
Foto: Reprodução/Internet

Na época, o Governo do Estado buscava tratativas com a Justiça e o Ministério Público para a licitação da contratação de uma nova concessionária que ficaria responsável pelos investimentos necessários para a retomada das operações.

Vale lembrar que o teleférico do Alemão está há 5 anos fechado (desde setembro de 2016). O meio de transporte, que locomovia cerca de 10 mil moradores por dia, completou 10 anos desde a sua inauguração em 7 de julho de 2011. Para a sua construção, cerca de 100 famílias tiveram que ser realocadas. Para a conclusão das obras que possibilitaram o circuito, a Secretaria de Estado de Transportes investiu R$253 milhões. Com 152 gôndolas, os passageiros dividiam-se em até dez pessoas, oito sentadas e dois em pé. Moradores do Alemão podiam usar o transporte sem custo por todo o percurso, que tem o total de 3,5 km de extensão.