Veja quantos casos ativos de Covid-19 há em 27 favelas do Rio; Número chega a quase 700

Dentre as comunidades, o Complexo do Alemão lidera com mais casos ativos registrados

Veja quantos casos ativos de Covid-19 há em 27 favelas do Rio; Número chega a quase 700

Foto: Renato Moura / Voz das Comunidades

Nas últimas semanas, o que tem se visto nas favelas do Rio de Janeiro é um aumento no número de casos de Covid-19, no dia 13 de agosto, mais de mil casos da doença foram confirmados em territórios de favela. Atualmente, em 27 favelas da capital, são aproximadamente 700 casos positivos de Covid-19, de acordo com o painel da Covid-19 da Prefeitura do Rio. Nos números atualizados do último domingo, dia 15 de agosto, o Complexo do Alemão, na Zona Norte, registrou 127 casos ativos.

A nova variante tem causado preocupação na cidade. De acordo com secretário de Saúde do Rio, Daniel Soranz, a variante delta foi identificada em 56,6% das amostras colhidas no município em julho. O reflexo deste aumento de casos pode ser visto também nas comunidades. Segundo o Painel Covid-19 Nas Favelas, feito pelo Voz das Comunidades, ao todo são 39.513 casos já confirmados.

Penha e Alemão lideram negativamente a lista de casos confirmados
Foto: Prefeitura Rio

Importância dos testes e vacinação

Gerente da Clínica da Família Zilda Arns do Alemão, Robson Ribeiro falou a respeito do atual momento da pandemia na comunidade.

“Temos percebido um aumento dos pacientes sintomáticos de Covid-19. Os sintomas são mais brandos que no passado. O público que tem chegado aqui tem sido mais de idosos, mas também um público mais jovem em torno de 50 e 30 anos. A vacinação tem que continuar acontecendo. Quanto maior o número de vacinados, maior o bloqueio, porque a vacina não protege só a gente. A transmissão é menor”, relata Robson.

O gerente da unidade ainda conta sobre a baixa procura dos moradores do Alemão pela a vacinação e da importância de buscar fazer o teste de Covid-19 se estiver apresentando algum sintoma. Todos que chegam aqui com algum problema respiratório é direcionado para o atendimento da Covid, para poder descartar. Dependendo do período dos sintomas, fazem o teste rápido. Desta vez os testes positivos superam o do passado. Antigamente tinham entorno de 35% a 40% dos casos e davam positivo. Hoje temos metade dos testes dando positivo”. O número de casos positivos pode estar associado à maior sensibilidade dos métodos de testagem atual, mas também pela maior taxa de transmissão em razão da variante delta.

Vale ressaltar que é extremamente necessário completar a imunização contra a Covid-19 com a segunda dose da vacina. Sem a segunda dose, a imunização se torna ineficaz. Importante relembrar também que, mesmo com as duas doses tomadas, é indispensável manter o uso de máscaras, álcool em gel e respeitar as medidas restritivas da cidade.