Voz nas Eleições 2020: Marquinhos da Reciclagem

Concorrendo pela segunda vez, um dos principais projetos do candidato é melhorar a infraestrutura das casas das comunidades
Voz das Eleições - Marquinho da reciclagem-08

Marcos de Lima Titara, de 50 anos começou a trabalhar como catador de lixo aos 7 anos para ajudar a mãe com as despesas da casa de madeira em que moravam, no qual foi nascido e criado, no Largo do Bulufa, na Grota, uma das localidades do Complexo do Alemão. Nessa eleição, o projeto principal do candidato é a melhora na infraestrutura das casas na favela onde viveu por 25 anos.

Concorrendo pela segunda vez ao cargo de vereador, o candidato está filiado ao MDB. Em 2004 veio como candidato pela primeira vez, mas só agora se sentiu realmente preparado para lutar pelas comunidades. O candidato é casado com Helena Bezerra e tem 4 filhos, Rafael, de 28 anos,  Júlia, de 15 anos, Marcos, de 8 anos e Heloísa, de 4 anos. 

“Só vim agora em 2020, por que eu acredito que tinha que trabalhar mais no social para que as pessoas realmente pudessem me dar um voto de confiança. Então, a gente vem trabalhando, conquistando amigos, mas independente da política, meu trabalho é sério”, afirma Marquinhos.

Marquinhos da Reciclagem. Foto: Selma Souza / Voz da Comunidades

Marquinhos da Reciclagem fundou a Associação Brasileira Valorizando a Reciclagem, ABVR, em 2004 e também atende de 40 a 50 pessoas por dia para tratamento de fisioterapia em outro projeto que administra. O projeto está localizado ao lado da empresa de reciclagem de Marcos, que foi fundada há 30 anos, no bairro de Irajá, zona norte do Rio de Janeiro.  

“Eu estou como candidato para fortalecer esse trabalho social, por que nós estamos num século que ainda existe barracos de madeira nas comunidades e eu estou com um projeto para a gente acabar com esses barraco de madeira e fazer casas populares de material reciclável. Esse é o meu sonho para as comunidades”, assegura o candidato.

Marquinhos da Reciclagem promete melhorar a infraestrutura das favelas, não só com a construção de casas de material recicláveis, no lugar dos barracos de madeira. Como também a produção de canos de esgoto e água, também do material para as casas das famílias carentes das periferias cariocas.

“Um dos maiores problemas das comunidades é a questão do saneamento básico, o material reciclável é não só mais barato é também ecológico.” – afirma o candidato.

Se você apoia as ideias de Marquinhos da Reciclagem, anote o número 15 155 e não esqueça de levar a sua caneta e o título até a sua zona eleitoral.    

Marquinhos da Reciclagem. Foto: Selma Souza / Voz da Comunidades

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]