Circuito Gastronômico de Favelas no Andaraí terá carne de sol com aipim a partir de R$10 reais

E5938AE7-BCB9-486F-8AB2-12DF8BCD6D53

Foto: Lipe Borges/ Circuito Gastronômico de Favelas

Maria Ivonete Santos é alagoana, tem quarenta e nove anos e há dezenove é moradora do Andaraí. Ela, que, no passado já foi manicure e depiladora se viu tendo que mudar de ramo profissional. Isso porque os produtos estavam lhe causando alergia. Embora sempre tenha gostado de cozinhar, nunca tinha feito para fora de casa. Mesmo assim tomou coragem para montar seu próprio negócio. E já fazem mais de seis anos que conseguiu um ponto na comunidade e resolveu vender quentinhas. E desde então suas refeições são famosas na região.

Ela gosta de manter a qualidade de seus ingredientes. Um exemplo é a carne de sol, usado em alguns pratos. O método de produção da carne de sol é caseiro mesmo, para manter a qualidade que ela adquiriu trabalhando na cozinha. O carré que prepara é na panela e não frito, para manter mais suculento. Os clientes têm gostado e muito.

Foto: Lipe Borges/ Circuito Gastronômico de Favelas
Foto: Lipe Borges/ Circuito Gastronômico de Favelas

Maria Ivonete vai participar do Circuito Gastronômico de Favelas no próximo dia vinte e cinco, domingo, no Andaraí. Ela vai levar: carne de sol com aipim; carré de panela com feijão fradinho e arroz branco; baião de dois com peixe frito. Os preços vão variar conforme o tamanho. A porção menor, dez reais; a porção maior, quinze reais.

O circuito vai acontecer na rua Jeribá – Andaraí, a partir do meio dia até às oito da noite.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]