Com rodízio de caldo de cana, barraca de pastel conquista clientes há cinco anos no Vidigal

Pastel do Russão, do mineiro Tiago Vieira de Jesus, de 31 anos, realiza mais de cem pedidos diários
Foto: Selma Souza / Voz das Comunidades
Foto: Selma Souza / Voz das Comunidades

Há cinco anos na Praça do Vidigal, a combinação de pastel e um copo de suco de caldo de cana de açúcar tem sido um pedido constante dos moradores e visitantes que transitam por uma das comunidades mais famosas na capital carioca. Pois, naquele espaço público, a barraca do Pastel do Russão, de Tiago Vieira de Jesus, de 31 anos, atende mais de cem pedidos diariamente na região. 

Natural de Minas Gerais, Tiago escolheu a favela da Zona Sul para ser um dos pontos do seu empreendimento especializado no preparo de pastéis e no rodízio especial de caldo de cana de açúcar. O “combo da felicidade”, como define a clientela, custa apenas R$ 4 e a pessoa tem o direito de beber até 50 copos de suco. 

“A escolha em abrir uma barraca de pastéis e caldo de cana de açúcar aqui passa muito pelas características do Vidigal, que possui a circulação de diversas pessoas de vários lugares e países. E, quando chegam aqui, muitos ainda não experimentaram esse ‘combinho’ e ficam muito encantado”, destaca o empreendedor. 

Além do empreendimento na comunidade da Zona Sul, Tiago também tem estabelecimentos do mesmo ramo comercial na Vila Isabel, Freguesia, no Rio das Pedras, na Curicica e no Morro do Banco. E, aos domingos, os funcionários participam das feiras na Rua Montevidéu, na Penha, e na Estrada Adhemar Bebiano, em Inhaúma, ambas localizadas na Zona Norte do Rio de Janeiro.

De família mineira, ele possui a participação de parentes em sua equipe diária de profissionais, como o seu primo Emerson, que trabalha desde o início da instalação na tenda do Vidigal. Ele, que atende de segunda a segunda nesta localidade, relata que a popularidade do negócio começa com o bom tratamento e relacionamento com os moradores e os turistas, que frequentemente transitam por ali. Às vezes, segundo Emerson, precisa até arriscar outras línguas no momento do atendimento. 

Emerson é um dos funcionários que cuida do atendimento na barraquinha do Vidigal. 
Foto: Selma Souza/Voz das Comunidades

“O combo de pastel e caldo de cana de açúcar é o pedido mais feito, pois é um rodízio que caiu no gosto dos moradores e dos visitantes. Porém, também temos outros lanches de fritura aqui, como kibes e coxinhas de carne e tudo mais”, explica o vendedor. 

Para montar o empreendimento no local, Emerson detalha que foi necessário a licença da Prefeitura do Rio de Janeiro pelos equipamentos de alto risco utilizados, como a panela de fritura e a máquina de moer a planta de cana de açúcar. O trabalhador ainda destaca que, para manusear de forma correta todos os equipamentos e entender os procedimentos de preparação dos alimentos, todos os funcionários passaram por um curso específico. “É importante aprender todos os meios de segurança”, comenta. 

De forma emocionada, Tiago relembra a trajetória até aqui. Pertencendo a uma família de quatro irmãos, ele revela que a imigração para o Rio de Janeiro foi realizada de um a um, pois almejavam uma condição de vida melhor e de estabilidade financeira . Hoje, depois de anos de tentativa, todos os familiares residem na capital carioca. 

“Sim, somos todos mineiros. Nossa vinda para o Rio foi pela necessidade de um emprego melhor e, com isso, acostumamos a ideia para todos os irmãos, vindo um a um. Hoje a família tá completa aqui e bem estabilizada”, define.  

Com uma quantidade de 9 funcionários fixos, que realizam o expediente diário nas 6 localidades que a barraquinha atende, o Pastel do Russão também pretende concluir a expansão dos seus negócios para outras comunidades do Rio de Janeiro em breve. Tiago, que já trabalhou em outras tendas de comércio de lanches na cidade, compartilha que a ideia de montar um negócio próprio surgiu após diversas experiências nessa área. E, em uma dessas, contribuiu com o lançamento do combo de pastel mais um copo de cana de açúcar. E, agora no seu, definiu como “prato chefe” o rodízio de 50 copos para quem quisesse. 

“A ideia surgiu após trabalhar para alguns patrões em outras tendas de comida. Aí, quando construímos o Pastel do Russão, a ideia central era oferecer esse rodízio tão querido por todos”, conta.

Com atendimento de segunda a segunda, um dos empreendimentos mais tradicionais no Vidigal estabeleceu um laço de confiança com os moradores da região. Muitas vezes, amigos e conhecidos definem o estabelecimento como um ponto de encontro, de confraternização, enquanto aproveitam os lanches oferecidos. 

“A gente sempre pensa no bem-estar e na fidelidade dos nossos clientes. Preparamos os nossos pedidos com muito carinho e atenção para que todos sempre voltem e lembrem do que oferecemos: um ‘combinho da felicidade’ e uma experiência única. Claro, temos planos de atender mais bairros possíveis, mas um passo de cada vez”, comenta Emerson.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]