Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Complexo da Penha e Corte Oito são as grandes campeãs da Taça das Favelas Rio 2023

Meninas da Baixada Fluminense chegaram ao terceiro título, enquanto os garotos da Zona Norte do Rio conquistaram o troféu pela primeira vez
Foto: Wictor Abreu/Divulgação CUFA
Foto: Wictor Abreu/Divulgação CUFA

A Taça das Favelas Rio 2023 teve um encerramento emocionante com dois campeões históricos, ambos com jornadas distintas, na manhã de 19 de novembro, no estádio Moça Bonita, do Bangu. No feminino, o time Corte Oito venceu nas penalidades, conquistando seu terceiro título no torneio, o primeiro time a alcançar tal feito nas duas categorias do evento organizado pela Central Única das Favelas (CUFA) e produzido pela InFavela. Eles venceram o Complexo da Coreia, que ficou com o segundo lugar pela terceira vez.

No masculino, o Complexo da Penha, um time que nunca havia se destacado no maior campeonato de futebol entre favelas do mundo e que subiu da Série B este ano, sagrou-se campeão, vencendo com folga o Jacarezinho, que também ficou em segundo lugar pela terceira vez na Taça. Ambos os jogos foram transmitidos ao vivo pela TV Globo.

Foto: Wictor Abreu/Cufa

Se as partidas foram tiradas do sábado, por conta do forte calor, a manhã de domingo reservou uma forte chuva para o “gran finale” da Taça das Favelas Rio 2023. O que fez com que Corte Oito e Complexo da Coreia empatassem sem gols, em um jogo muito disputado. Nos pênaltis, mais uma vez brilhou a estrela da goleira Marcela Rocha que defendeu uma cobrança, garantindo a vitória por 4 a 3 nas penalidades, o tricampeonato e o troféu Marilza Pereira Athayde para a favela da Baixada Fluminense.

“Só tenho a agradecer a quem sempre acreditou no Corte Oito. Nós sempre corremos e treinamos mais do que podemos, porque acreditamos que vamos ser recompensadas. E a recompensa está aí! É Corte Oito! É tricampeão”, comemorou a goleira Marcela Rocha.

No jogo seguinte, os meninos do Complexo da Penha e do Jacarezinho também fizeram um jogo de baixo de muita chuva e muito disputado, no que foi um clássico da Zona Norte carioca. Logo no início do jogo, o Complexo da Penha teve um pênalti a seu favor, que o camisa 10, Dieguinho, não desperdiçou e abriu o placar. Ainda na primeira etapa, o Jacarezinho foi pra cima e chegou ao empate com um golaço do atacante Caio Pinho. No segundo tempo, o Complexo da Penha entrou mandando no jogo, fez 2 a 1 com o atacante Jonathan Moura e garantiu a festa e o troféu Ari Pipa para a sua favela.

Foto: Douglas Jacó/CUFA

“Pra mim, é uma sensação única ganhar esse título. Muita gente não acreditou, quando estávamos na Série B, e agora estamos aqui, campeões da Série A e proporcionando uma grande festa para a nossa favela”, disse Jonathan Moura, autor do gol do título.

Depois da premiação, as meninas do Corte Oito e os garotos do Complexo da Penha saíram de Bangu no caminhão do Corpo de Bombeiros, e tiveram uma chegada triunfal em suas respectivas favelas.

Na cerimônia de premiação, a goleira Marcela Rocha, do Corte Oito, foi eleita a melhor jogadora do campeonato. E, entre os meninos, o camisa 10 do Complexo da Penha, Dieguinho se consagrou como o melhor jogador da competição.

A Taça das Favelas Rio de Janeiro 2023 contou com patrocínio master de Friboi e Enel; patrocínio ouro de Gol e Vai Voando; prata de Comunidade Door; bronze de Alô Social; apoio de DFM Advocacia; promoção de TV Globo, Eletromidia e FM O Dia; incentivo ao esporte da Secretaria de Esporte e Lazer do Governo do Estado do Rio de Janeiro.

Resultados das finais da Taça das Favelas Rio 2023:

Corte Oito 0 (4) x (3) Complexo da Coreia – feminino

Complexo da Penha 2 x 1 Jacarezinho – masculino

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]