Feijão da Igreja Mundial NÃO cura coronavírus

Circula em redes sociais um vídeo em que o pastor Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus faz o seguinte relato: “Na última reunião de bispos e

Circula em redes sociais um vídeo em que o pastor Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus faz o seguinte relato: “Na última reunião de bispos e pastores, apresentando com exame, com laudo médico, gente curada de coronavírus. Em estado terminal, podemos dizer assim. Gravíssimo, num estado muito avançado. E Deus operou e fez maravilha. E tá ali o exame, para quem quiser. Seria bom uma reportagem na Globo, na Bandeirantes, na Record, no SBT, na Redetv, para mostrar ao povo o poder de Deus. Aí você vê como é importante a semente, a semeadura. Então o povo obedeceu a José e semeou na terra. E a terra deu o retorno. Toda família se fartou e conseguiu venceu a crise, a epidemia”. Baseado nisso, o pastor relata que quem possuísse o feijão também receberia o milagre da cura do novo coronavírus. O Ministério da Saúde publicou que essa informação é falsa! Ainda não há nenhuma substância ou alimento que garanta a prevenção ou cura da Covid-19, o MPF (Ministério Público Federal) emitiu um ofício solicitando a plataforma de vídeo Youtube para que excluísse o material.

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]