Kits de testes para Covid-19 NÃO foram comprados por países em 2017

Circulou no Facebook uma postagem sobre a suposta compra de testes para Covid-19 feita por vários países. A informação é FALSA. O post falso se baseia nos registros de uma

Circulou no Facebook uma postagem sobre a suposta compra de testes para Covid-19 feita por vários países. A informação é FALSA. O post falso se baseia nos registros de uma base de dados chamada World Integrated Trade Solution (WITS) e diz “A MAIOR FRAUDE DO SÉCULO, OU A GRANDE CONSPIRAÇÃO GLOBALISTA A NÍVEL MUNDIAL! Desde quando é que, alguma vez, foram necessários “kits de testes” para averiguar se alguém está constipado ou com gripe??? Em 2017 e em 2018 foram exportados, para todo o mundo, milhões de kits de exames médicos (300215) para combater o COVID-19 que só surgiria em Dezembro de 2019 em Wuhan!“.

Procurado pela CBN, o Banco Mundial explica que o que está circulando é uma informação distorcida sobre o que consta da base online. Houve, ainda, a manipulação de registros de compras antigas de reagentes utilizados para outros tipos de testes – e não para o da Covid-19, doença que só foi identificada em dezembro do ano passado, na China (o “19” se refere ao ano de 2019). Os reagentes que foram comprados eram para outras doenças já conhecidas.

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]