Neurocientista britânico NÃO concluiu que maioria da população é imune ao coronavírus e que distanciamento social é inútil

Circula nas redes sociais uma mensagem que diz que um estudo sobre a Covid-19 feito por um neurocientista britânico concluiu que a maior parte da população é imune ao coronavírus

Neurocientista britânico  NÃO concluiu que maioria da população é imune ao coronavírus e que distanciamento social é inútil

Circula nas redes sociais uma mensagem que diz que um estudo sobre a Covid-19 feito por um neurocientista britânico concluiu que a maior parte da população é imune ao coronavírus e que o chamado lockdown (isolamento social rígido) é inútil para conter a pandemia.

O presidente Jair Bolsonaro foi um dos que compartilharam o boato.

Procurado pela CBN, Friston esclarece que não é autor de uma publicação a este respeito e que não deu essas declarações. “Estão afirmando nas redes sociais que eu disse que ‘80% da população mundial é imune à Covid-19 e que, portanto, o bloqueio era inútil’. Mas isso é falso”, afirma o cientista, que é especialista em modelos computacionais e vem se debruçando sobre os dados da pandemia.