Neurocientista britânico NÃO concluiu que maioria da população é imune ao coronavírus e que distanciamento social é inútil

Circula nas redes sociais uma mensagem que diz que um estudo sobre a Covid-19 feito por um neurocientista britânico concluiu que a maior parte da população é imune ao coronavírus

Circula nas redes sociais uma mensagem que diz que um estudo sobre a Covid-19 feito por um neurocientista britânico concluiu que a maior parte da população é imune ao coronavírus e que o chamado lockdown (isolamento social rígido) é inútil para conter a pandemia.

O presidente Jair Bolsonaro foi um dos que compartilharam o boato.

Procurado pela CBN, Friston esclarece que não é autor de uma publicação a este respeito e que não deu essas declarações. “Estão afirmando nas redes sociais que eu disse que ‘80% da população mundial é imune à Covid-19 e que, portanto, o bloqueio era inútil’. Mas isso é falso”, afirma o cientista, que é especialista em modelos computacionais e vem se debruçando sobre os dados da pandemia.

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]