NÃO estão enterrando caixões vazios no Amazonas

Circula nas redes sociais imagens que mostram um caixão vazio e desenterrado, com a informação de que eles haviam sido encontrados no Amazonas, em meio a pandemia do coronavírus. As

Circula nas redes sociais imagens que mostram um caixão vazio e desenterrado, com a informação de que eles haviam sido encontrados no Amazonas, em meio a pandemia do coronavírus. As pessoas que compartilham a suporta descoberta argumentam que a manobra foi utilizada para aumentar o número de mortes pela doença. A informação é falsa.

As imagens, tanto o vídeo quanto as fotos, não são atuais nem foram feitas no Amazonas em meio ao surto de covid-19, como afirmam publicações nas redes. Na verdade, o conteúdo é pertinente à uma investigação da Polícia Civil sobre fraudes em seguros de vida, que aconteceu em maio de 2017, em São Carlos (SP).

Imagem de uma notícia que foi publicada sobre o caso, na época

A mesma alegação falsa também circula acompanhada de outras imagens. Um frame de uma reportagem da Band, por exemplo, foi usado como se mostrasse o enterro de caixões vazios em Manaus. A matéria, no entanto, apenas noticiava a realização de sepultamentos de vítimas da covid-19 em valas comuns na cidade. A prefeitura de Manaus (AM), responsável pelos cemitérios do município, também negou a informação.

O Facebook, inclusive, vem bloqueando esse conteúdo em postagens na rede social visto que, comprovadamente, já foi tido como falso.

Fontes: https://piaui.folha.uol.com.br/lupa/2020/04/29/verificamos-foto-caixao-vazio-enterros-covid-19-amazonas/

https://aosfatos.org/noticias/foto-que-mostra-caixao-vazio-desenterrado-e-de-2017-e-foi-tirada-em-sao-paulo-nao-no-amazonas/?fbclid=IwAR2hsXN9TXiBP3WFe7B_z2hly6-rjhjMMfHSRMPBwxXo8hsIwAuwwkJictQ

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]